quarta-feira, 1 de abril de 2009

O Buraco


O suor fazia trilhas por entre suas banhas.


Havia um bom tempo que o vento havia desistido de passar por aquela avenida. Já o sol, não. O sol estava ali, firme, forte, marretando sua cabeça assim como ele marretava o asfalto.


Cada vez que batia no chão, sentia seu corpo todo tremer, vibrar penetrando o betume virgem. A marreta tal como um objeto fálico socava com força o asfalto e ele gozava com aquilo.


Tirou o capacete por um minuto e observou o engarrafamento. Sorriu com orgulho e lembro do diálogo com a patroa pela manhã.


- Hoje vou parar uma avenida! – Contou orgulhoso para a mulher enquanto comia o pão frito na frigideira encharcada de margarina.


E parou mesmo.


Podia ver no rosto o desespero dos executivos dentro de seus carros de luxo. Não contavam com aquela obra ali, aquele mundo de carros, aquele engarrafamento, os minutos de atraso.


Via com satisfação o rosto trincado dos motoristas de ônibus, que como cágados carregavam os estresses de todos que iam com ele nos coletivos lotados.


E os guardinhas? Estes eram uma diversão à parte para ele. Soprando os apitos, fazendo sinais, numa dança desesperada e involuntária. Notava que vez por outra eles sumiam. Era muita pressão. Muita mesmo. Mas não pra ele.


- Se o cara me pôs neste buraco, trago todo mundo junto comigo...

Passou a mão na testa e tirou quase litro de suor, que escorreu pelos seus braços empapando ainda mais o macacão. Adorava aquilo.


O tampão de ouvidos o deixava ainda mais distante, isolado, inalcançável. Um Deus a cuidar dos destinos de todos, decidir o quanto tempo aquele buraco iria reger a vida de toda aquela gente.


- Pra onde este povo todo vai? – Perguntou-se.

Aquilo o revigorou mais uma vez. Deixou seus músculos rijos, trouxe mais vontade, desejo, tesão. E a marreta voltou a subir e descer. Logo o buraco foi fuçando fundo, fundo, fundo...

- Todo mundo cava... Todo mundo...



Era um dos momentos em que de grão virava assunto da multidão.


Da janela do ônibus gritaram:


- Procurando petróleo negão? –


- E pelo visto já achou... Tá todo sujo. – Todos riram. Ele não, nem ouviu.


Continuou cavando, cavando, cavando... Nem sentiu os segundos, minutos, horas passarem.


- Para que este povo todo vai? – Perguntou-se.


Era bom deixar para trás tudo e criar só para ele aquele casulo de terra e pó, onde só existia ele e nada mais. Sem mulher, filhos, patrão, trabalho, ponto, trânsito, buzinas, fumaça, só ele e as pancadas. Como batidas de seu coração acelerado.


- Mathias! Sobe homem, que história é essa?! – Gritou o mestre de obras na ponta do buraco, que já ia fundo. Passando dos dutos e da necessidade. Mas ele não parava.


- Qual a razão disso tudo? – murmurou entre os dentes e as batidas.


E na busca de alguma razão, ele continuou batendo, marretando, abrindo passagem. Cavando a prórpia queda. Como não fosse mais um buraco, mas um novo caminho...


- Mathias! – Não ouviu, já ia muito longe, muito fundo. Era somente eco e sombra.


Dizem que após cavar alguns dias e algumas noites ele realmente encontrou o que procurava.


Um significado para tudo aquilo.
Mas o buraco era tão fundo, mas tão fundo que por mais que ele olhasse pra cima, não via mais uma luz no fim do túnel.


E o que parecia uma saída, virou cova.

111 comentários:

luiz disse...

eu assei baca,
meus pensamento foaram
^^


se puder
http://sonabrisa.nomemix.com/

1 de abril de 2009 20:21
INDICOESSE disse...

Sempre causando com seus contos!
Tenho que ler outras vezes!

1 de abril de 2009 20:24
JaCoNa disse...

"E o que parecia uma saida, virou cova" Genial.... eu gostei mtu do teu etxto...c tem um estilo mtu gostosu d eler! xD
parabéns... ;)
bju

1 de abril de 2009 20:29
Tobias de Melo'' disse...

wow!
Deu nó na cabeça,
mas depois de 5s tudo se encaixa[ou não]

:D~

Muito legal.

1 de abril de 2009 20:30
Mafia171 disse...

otimo texto

1 de abril de 2009 20:35
Danilo disse...

Tia(o) eu achei se blog muito legal..
Eu já estou seguindo ele..
Acompanhe o meu também, por favor, eu estou precisando de ajuda..
coloque meu lin aki também se vc achar meu blog legal,ta?
http://30trena.blogspot.com
Obrigado..
Bjos..
Fica com Deus..

1 de abril de 2009 20:37
TAIS MOREIRA disse...

Adoreiiiii o texto!! Especialmente a parte final, em que diz: "O que parecia ser uma saída, virou uma cova"!! Ás vezes, acontece isso, mesmo, isto é, às vezes procuramos fazer algo que, para nós, parece incrível, mas pode ser a nossa perdição, enfim...XD
Beijos, parabéns!

1 de abril de 2009 20:38
Dário Souza disse...

Cara incrivel a capacidade dos seus textos, me fazerem sorrir, eh de uma criatividade, incrivel;Ce sabe que eu adoro seu blog ne ??


Cara, eu criei um post no domingo e queria muito que vc lesse, e saber sua opinião sobre o texto e tal.Sera que ce pode ir la da uma lida ??O nome do post eh Filmes que te mudam.Valeu

1 de abril de 2009 20:44
Manu Castro disse...

Show de bola!
Ansiosa pelo próximo post.

1 de abril de 2009 20:46
INDICOESSE disse...

Gostei muito do texto, a primeira parte, senti o estrecimento do asfalto. Sua analogia com uma relação foi ótima, rsss.

E além do mais qual é a figura de linguagem que vc usou na parte a qual o vento não passava mais naquele lugar, só o sol esse sim...
Achei fabuloso pq vc entra com uma poética e acaba fazendo agente sentir tudo aquilo que seu texto expressa.

Não ligue se ficou confuso no meu blog. Se vc reparar eu indiquei para que sigam a carreira em Java que dá muito dinheiro... mas é um blog variado.. espero indicar cada vez coisas legais lá,

vc viu a sua indicação que fiz um tempo atrás... é só pesquisar no blog!

AB

1 de abril de 2009 20:49
Dário Souza disse...

Valeu la pelo comentário.Cara ano passado, e minha rotina era ver pelo menos um filme por dia, filme de todo tipow, de varios lugares e tal,nunca fiquei preso mesmo ao cinema americano, sempre gostei de filmes franceses, espanhois.So que recentemente meu pc deu uns problemas, e eu nao tenho conseguido baixar filmes, estou só indo pro cinema e como eh os filmes americanos que mandam eu nao tenho muita opção.Mas vou querer sim ver todos esses filmes que vc indicou.Valeu pelas dicas.Abraço

1 de abril de 2009 21:05
DEIVID FRANÇA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
DEIVID FRANÇA disse...

pra te falar a verdade fiquei um pouco longe... não entendi direito...

( desculpa pelo comentário, melhor do que falar apena )

que texto legal ...

mas assim vou continuar lendo e tentar chegar em um fato ;)

1 de abril de 2009 21:21
Seu Ariovaldo disse...

Confesso que não li boa parte do texto.. Normal para mim esta hora estar na cama..
Mas pode ter certeza que logo cedo irei ler!
Abraço!

coisaquerida.blogspot.com

1 de abril de 2009 21:24
Esconderijo disse...

O cara cavando sua própria cova, enquanto o mundo corre normal ao seu redor. Gostei muito do texto. Parabéns.
E, dá-lhe MENGO.


http://escondidin.blogspot.com/

UM ABRAÇO>

1 de abril de 2009 21:27
Celma Araújo disse...

E que cova hein.....mto bom o texto!!

1 de abril de 2009 21:28
Marcelo A. disse...

Cara, final surpreendente...

Teus textos, sempre maravilhosos!

www.marcelo-antunes.blogspot.com

1 de abril de 2009 21:30
fimdotedio disse...

cara, seus textos sao d+!
vou vir ler seu blog sempre que possivel

1 de abril de 2009 21:35
Vinícius*Magalhães disse...

Gostei do fim. queer dizer, o texto todo é bom, tem todo um clima e tal. esse final faz até as pessoas pensarem nas coisas da vida. parabéns amigo. muito sucesso.

1 de abril de 2009 21:35
gutograca disse...

Muito bom. Sempre cavando, outras vezes garimpando. Abs, GG

1 de abril de 2009 21:37
Wagner Lopes disse...

Marton
As regras pra participar do sorteio estão aqui nesse post:

http://wagner-lopes.blogspot.com/2009/03/loja-vitual-criei-um-blog-anexo-esse.html#links

Tinha que deixar um comentário, no post das regras pra participar. Quem comentava no post errado, mas escrevia algo como "quero participar do sorteio" eu ainda tive como aceitar..

1 de abril de 2009 21:44
chaps tiicks - disse...

legal, valeu pela "DICA", olha lá pra ver se melhoro agora tá? *-*
mas eu tava vendo antes normal, mas tudo bem.
muito legal aki, parabens :~

1 de abril de 2009 21:52
antoniopimenta disse...

Parabéns pelo blog, já é a minha segunda visita nele

:D

Abraços

1 de abril de 2009 21:52
Raphael disse...

Uma lombra muito doida.
Mais interessante. Acabe por retratar a nossa busca diaria por algo que as vezez nem ao certo sabemos o que é, e qnd finalmene achamos ja é tarde demais.

1 de abril de 2009 21:54
KGeo disse...

um bom texto me disprendi um pouco da leitura vou ler de novo

1 de abril de 2009 22:23
Pelirroja disse...

Olá! Gosto muito dos seus contos. Muito bem escritos, gostosos de ler e muito envolventes. Este não foge à regra.

Adorei o final do conto, é uma daquelas frases geniais. Quantas vezes nos perdemos procurando achar nosso caminho ou a saída de seja lá o que for?

Beijo e uma ótima quinta! ;)

1 de abril de 2009 22:28
Pelirroja disse...

Adorei o elogio no Abóboras! Principalmente a parte do "doce de abóboras". Me fez rir alto aqui! :P

Beijos

1 de abril de 2009 23:34
Bruno R.Ramos disse...

Genial. Voltarei para ler os outros posts.

1 de abril de 2009 23:41
Drunken Alina disse...

Adorei,mas isso não é mais novidade.

Beijos!

2 de abril de 2009 00:28
Coyot disse...

é a metafora da morte que se aproxima

2 de abril de 2009 12:15
MBN.music disse...

Blog maneiro, texto ótimo.
;)

2 de abril de 2009 17:54
cogumelo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Experiência Diluída disse...

Nossa! Adorei o seu blog e o texto é ótimo, vou acompanhar sempre...Linkarei ;) Abraços!

2 de abril de 2009 18:17
cogumelo disse...

ótima cronica, prende a atenção, e finaliza de forma espetacular, metafórica!

sucesso :*

2 de abril de 2009 18:17
Daniel Murillo disse...

Muito legal seu texto e seu blog.

2 de abril de 2009 18:19
Fernando Gomes disse...

boas analogias, simplicidade e texto ótimo de ler.
parabéns.
gostei muito
:D

2 de abril de 2009 18:28
Horácio Leal ° disse...

Cara seu Blog merece um template melhor, ele tem muita qualidade de conteúdo, mas é pobre no formato.
vc é muito bom com as palavras e vc sabe disso, parabéns se ainda não tá esperando oq ue para escrver um livro?

nota 10

lançamento - http://splashandsplash.blogspot.com/

Veterano - http://sensitivereaction.blogspot.com/

2 de abril de 2009 21:41
mateusbonez disse...

adorei. a gnt sente vontade de não parar de ler, mto boom mesmo :D

http://tiomah.blogspot.com/

3 de abril de 2009 10:46
Móó legal disse...

auehuaheuhaeuhauehuaheuhae
bacana o conto!!
mas meio nojento no início...
auehaheuhaeuhauheuaheuhaueh

--
www.moolegal.wordpress.com

3 de abril de 2009 10:51
Inforblog disse...

Maça ae... só é cumpridão.
Gostei.

3 de abril de 2009 11:07
JuANiTo disse...

Excelente!
Apesar do tom masoquista, de sentir no prazer nisso tudo!
Abraço!

3 de abril de 2009 14:10
CG FILM PICTURES disse...

Muito bom o texto, interessante leitura. Adorei.
Beijinhos de Rozangela Melo. Visite nosso site de cinema amador.
http://cgfilmpictures.blogspot.com/

3 de abril de 2009 14:17
Flávio Pinheiro disse...

Adorei os textos...Vou ler os outros tbm...Abraços....

3 de abril de 2009 14:40
Branca disse...

Primeira vez que visito seu blog. Achei muito especial!!! Isso significa que voltarei sempre.

3 de abril de 2009 15:05
One Day disse...

Gostei do seu blog !
Adorei a parte "O que parecia ser uma saída, virou uma cova"

Você está de parabéns.

Estou te seguindo :*

4 de abril de 2009 13:00
Wander Veroni disse...

Puxa vida, o texto tem um tom bem reflexivo. Adorei a frase final sobre o lance da cova. Abraço

4 de abril de 2009 14:25
Thalita disse...

conto mara....
a pessoa fica imaginando as coisas ne...

4 de abril de 2009 15:51
kbritovb disse...

haha procurando petroleo foi bom

4 de abril de 2009 18:26
Pedro Bandoli disse...

Cara, tu escreve bem. UAHUAUHAU o texto é legal de ler, não sei. Volto outras vezes! :D
http://fato-cotidiano.blogspot.com/
entra ae! Blog Novinho! :D

4 de abril de 2009 20:30
Joshua disse...

gostei ja li um outro post q vc colocou aqui e gostei muito

4 de abril de 2009 20:38
Y a s h a disse...

Adorei sua escrita!

No inicio, por um momento, me lembrou uma música do Oswaldo Montenegro; "Hoje eu quero a rua cheia de sorrisos francos, de rostos serenos, de palavras soltas, eu quero a rua toda parecendo louca, com gente gritando e se abraçando ao sol (...) Hoje eu quero que os boêmios gritem bem mais alto, eu quero um carnaval no engarrafamento...".

Mas, no final, acontece que quem procura, acha.


Abraço.
-

Passa lá.
http://www.l-a-b-i-r-i-n-t-o.blogspot.com

5 de abril de 2009 22:59
Rebeca . disse...

sucesso pra ti.

5 de abril de 2009 23:13
gm_twix disse...

=D

5 de abril de 2009 23:24
João Cappello disse...

ele realmente descobriu para onde todos iam, inclusive o próprio. Uma pena ter descoberto um pouco cedo demais.

5 de abril de 2009 23:47
Valci Pessoa disse...

Como sempre marton, muito bom post, curto pacas teu blog, super interessante ;)

6 de abril de 2009 00:36
Flavio [DesVínculos] disse...

O Crtl+V da vida real não funciona... mas será que nos preocupamos com isso? Significados significantes, ou não, é isso que importa!

7 de abril de 2009 07:33
Giullianne Vicente disse...

Sempre reflito quando leio seus textos, profundos.
Como é linda a arte da escrita.
Meu último post é uma homenagem para todos os artistas, se puder dê uma olhadinha.
Parabéns!

7 de abril de 2009 12:46
Julio Cesar disse...

O começo me lembro akela musica antiga com uns cara dançando, o final me lembro um seriado que não lembro nome

7 de abril de 2009 12:49
Rogerio Lima disse...

Obrigado pela visita em meu Blog!!!

7 de abril de 2009 12:57
Martins disse...

caramba, você tem um estilo muito gostoso de ler. Idéias geniais. Gostei muito!

7 de abril de 2009 12:57
luiz disse...

muito legal

se puder
http://sonabrisa.nomemix.com/

7 de abril de 2009 12:58
Móó legal disse...

aUHEUaheuHAEUHaueh
muito bom!
final genial...
pior que as vezes a saida não passa de uma cova mesmo...

7 de abril de 2009 13:01
Gisela Melloso disse...

pra mim o Mathias, estava entrando dentro do buraco da vida dele, entre questionamentos, dúvidas, sombras, razões... Buscava aquilo que nem ele sabia, e ia cavando, até ver que no fim ele não ia encontrar a luz, pq no fundo nem ele sabia o que procurava.

Muito bom este conto, ele nos faz refletir, pensar... vc é muito bom nisso

Forte abraço

7 de abril de 2009 13:30
Lucas Sepúlveda disse...

Bem, talvez a verdadeira saída não se baseie em eventos físicos e concretos. Talvez seja melhor se sufocar na alegria do que morrer sem um sentido ao céu aberto.

Ótimo texto (mesmo).



http://quartodealuguel.blogspot.com/

7 de abril de 2009 13:35
joey disse...

mto bom!

visite:
http://webfuel.blogspot.com/


Ps:.otimo blog esse seu!

7 de abril de 2009 13:47
K.Rafael disse...

O jeito de escrever é legal. Tu me prendeu até chegar no fim do psot, mas fiquei voando.

Até +

7 de abril de 2009 13:54
Alan Salgueiro disse...

Que forma interessante de contar uma história, Marton. Você vai construindo um universo de um cara obstinado por seu trabalho, que faz o máximo pra realizá-lo até além das perspectivas sem se preocupar com o corpo, com os outros e se definha sem perceber, definha a ponto de não mais conseguir sair da arapuca que ele mesmo cavou.

7 de abril de 2009 14:24
Toddy disse...

mto legal o texto
qndo tive um tempinhu vo parar pra ler
se puder passa no meu blog
http://t-crespi.blogspot.com
vlw

7 de abril de 2009 22:24
Caroline disse...

era o caminho que ele procurava, e acho sinceramente que ele não se arrependeu.


http://messnatural.blogspot.com/

7 de abril de 2009 22:31
Silva disse...

Excelente!!!!
É um texto cheio de vida - e, por que não? - cheio de símbolos. Temos o tempo de procurar, e o tempo de viver. Não podemos esfacelar um em nome do outro...
Parabéns!!

Grande abraço :)

http://selvadosilva.blogspot.com

7 de abril de 2009 22:45
sauzza disse...

Gostaei muito do seu post,a leitura é muito boa,parabéns irmão.......será um prazer voltar e ler aos demais....parabéns......passa lá no meu,você vai se amarrar.........boa sorte.

7 de abril de 2009 22:56
Dário Souza disse...

Marton selo pra vc la no Casa

8 de abril de 2009 23:02
Willian disse...

Caraca.... Viajei nas "imagens"

Muito bom o estilo de escrever!

Abraço

9 de abril de 2009 11:14
Meury disse...

MUITO legal.
Sem mais comentarios, o conto por si só expressa tudo muito claramente. Grande ensinamento. Grande...

9 de abril de 2009 15:49
Aninha disse...

Muito obrigada pelo comentário em meu blog, suas palavras rrealmente me fizeram pensar a respeito.
Gostei muitissimo do seu blog viu e aguardo outras visitas :)
Beijão

9 de abril de 2009 22:47
André Mattos disse...

Realmente é uma história profunda, literalmente. rs Mas eu não me preocupo com ele. De repente ele encontra uma lâmpada lá embaixo e chama o gênio ombudsman.
Mas falando sério, um texto que faz qualquer um refletir.
Vai nessa!

O cotidiano te espera:
http://bemcontar.blogspot.com
Abraço.

15 de abril de 2009 14:57
kilder disse...

muito legal o blog!!!!!

http://comumente-kilder.blogspot.com

16 de abril de 2009 20:13
Blog Oficial Luis Fabiano disse...

show o blog
parabéns
abraços

16 de abril de 2009 20:25
Gregory Vancher disse...

Gosto de textos assim, que se transformam ao decorrer da narrativa e que prendem o leitor. Muito bom o conto.

18 de abril de 2009 16:48
calango azedo disse...

naum entedi muito

19 de abril de 2009 22:43
cahierdemarie disse...

Ahh é justamente o livro (do Rubem fonseca) que estou lendo!!! Antes li Diário de um Fescenino, adorei!


não sei quem fez a ilustração, por isso não coloquei..

bjos

19 de abril de 2009 22:49
Bia Mecânica disse...

Mó legal o seu blog. Você escreve pra caramba. Espero passar aqui mais vezes, beijos*

19 de abril de 2009 22:52
Lafayete disse...

Muito bom seu blog
Otimos textos

Se puder

http://www.lafayetearaujo.blogspot.com

19 de abril de 2009 23:05
luiz disse...

sempre bom esse contos


se puder
http://sonabrisa.nomemix.com/

20 de abril de 2009 09:59
wilsondocarmo disse...

lol rodando..

20 de abril de 2009 10:00
Samoel disse...

Muito SHow

20 de abril de 2009 10:17
Raphael C. Lima disse...

achei interessante seu comment lá no meu blog...deixei um reply lá. rs

aqui me pareceu bom. vou acompanhar...

20 de abril de 2009 10:19
30 e poucos anos. disse...

Confesso que me deixou confuso...é bem escrito dando enfase aos detalhes mas acho q faltou algo para entender melhor ( na minha opinião heim !!! )

20 de abril de 2009 10:45
Sóda Games disse...

Parabens pelo seu blog rapaz
Um abraco

Otimização de recursos e serviços.
http://menosbits.blogspot.com/
O jeito inteligente de se usar a internet.

21 de abril de 2009 19:39
. disse...

Legal.


http://ozzfromhell.blogspot.com/

21 de abril de 2009 20:25
. disse...

Legal.

http://ozzfromhell.blogspot.com/

21 de abril de 2009 20:26
Veiga disse...

bem escrito...

21 de abril de 2009 20:30
Dona do Planeta disse...

Obrigada por sua visita em meu planeta!!! Vou seguir seu blog, adorei... hehehehe e que pena que não gosta de ovo..

Eu adoro um ovinho frito com pão francês... quentinho, ai que fome me deu!!!!

21 de abril de 2009 20:32
• Elizia • disse...

Bem legal seu conto,
assim que tiver tempo dou uma passadinha aqui de novo, continue assim, beijinhos, bom feriado.

21 de abril de 2009 20:36
Bruno disse...

Ok, tô embasbacado. Demais!

E já seguindo o título do blog, vi literalmente um filme em minha cabeça. Cada imagem segregada, trazendo um efeito diferente. Um barulho incessante que dá lugar a um silêncio vazio quebrado pela voz do narrador... Voltarei com certeza.

22 de abril de 2009 02:07
Junior disse...

legal teu conto cara
o começo e o fim dele são partes legais, que me prenderam
{ gostei da parte dos desaparecidos no seu blog, fazendo um serviço legal, vou colcar um desse nos meus blogs tmb)

22 de abril de 2009 02:10
italoclone disse...

Nossa complexo pra minha cabeça mais bem legal

22 de abril de 2009 02:12
Diego? Glommer? disse...

Belo texto. Achei especialmente interessante a sua capacidade descritiva e de fazer o leitor entender toda a ambientação.

Quanto a seu comentário ao meu texto julgo como muito pertinente. Até porque eu acabei simplificando tudo tentando fazer fixar a ideia que queria passar com ele. Enfim, estou experimentando, já que há pouco tempo que comecei a escrever contos. Acho que é esse o caminho.

De qualquer forma, sempre é legal quando alguém com mais experiência vêm a comentar de forma sincera o que vc escreveu.

Abraços!

http://solucomental.blogspot.com/
http://ladobdiscotrash.blogspot.com/

22 de abril de 2009 02:15
Lemon Blog disse...

texto mto bom, mto bem escrito.

parabéns!


http://sasdelli.blogspot.com/

22 de abril de 2009 02:16
in the zone disse...

Nossa velho. Sem palavras. Viajei aqui com você nesse texto. É raro eu ler um blog como eu li so seu agora. Toda minha atenção ficou nesse post. Parei tudo que estava fazendo, realmente genial o jeito que vc escreve.

Não me resta mais nada a não ser de linkar.

Quero ser vc quando eu crescer, ;D

Abraços e um milhão de parabéns!

22 de abril de 2009 10:18
André Mattos disse...

Olá, tem mais um selinjo no meu blog pra você.

http://bemcontar.blogspot.com/2009/03/selos-pra-que-te-quero.html

30 de abril de 2009 22:11
Gabriel disse...

oloko mais de 100 comentario ta de parabens!

2 de maio de 2009 13:09
J. C David disse...

parabéns pelo blog e pelo sucesso...

3 de maio de 2009 12:11
sacipirata disse...

Nossa cara, você escreve muito bem!
Sério... Por que não faz um livro de contos??? Eu compraria!
Um abraço do Saci!!!
ps: Virei fan! :D

11 de junho de 2009 12:15
Pobre Esponja disse...

Opa, parabéns amigo. Li tudo, me perdi me achando e acabei entendendo.

abç
Pobre esponja

11 de junho de 2009 12:50
Claudio disse...

Muito dez ralmente legais os contos.

13 de junho de 2009 22:36
Branca disse...

Com certeza mudanças são necessarias,mudamos a cada segundo de nossas vidas, e acho que a vida sem mudanças seria uma coiosa muito chata, tá certo que certas mudanças são pra pior, mas devemos ver nelas tbm um meio pra crescermos e sermos melhores
beijaooooo

14 de junho de 2009 00:08
jonas-16 disse...

NossA SENHORA: e o suor fez trilha pelas suas banhas...

é a coisas corrosivamente mais fantástica que já li em minha vida...

21 de junho de 2009 15:20
melke disse...

Gostei do texto, mas me fez lembrar das obras em frente a minha casa. Elas me dão nos nervos, além da poeira e o barro que trago todos os dias para casa nos sapatos, ainda tenho q aguentar milhoes de carros desviado da obra pela rua que vejo da janela do meu quarto. Fiquei com o barulho todo da avenida de brinde.
Os carinhas da obra de lá, devem se sentir exatemente como esse ai.. bem eu ja tinha reparado a carinha de felizes deles. rs

22 de junho de 2009 00:29
danisiinha disse...

viajei no seu texto querido escritor... como todos os outros otimo.... de uma sensibilidade enorme! e sabe as vezes meu buraco é tao fundo que tambem nao vejo luz....

22 de junho de 2009 18:50
Vivica Bolacha disse...

Nosso Deus! É complicado quando ficamos tão perdidos a ponto de encontrarmos nossa própria saída e o único jeito de pedir ajuda é interferindo na vida daqueles que nos rodeiam. Mesmo que nada tenham a ver com nossas particularidades.

Beijos

28 de junho de 2009 01:09

Marcadores

3G (1) A Fábula do Pé Sujo (1) A Fábula do Pé Sujo. (1) A Lápide (1) A Tal da Portabilidade (1) A Unidos dos Dois na Sala (1) A Virada do Ano (1) aeromoça (1) aladin (1) Amor a primeira vista (2) amores impossíveis (1) ano novo (1) Arrumação (Em Cadeados) (1) As Cores Dela nas Paredes da Cabeça Dele (1) As Sereias da Estante (1) Assalto (1) assassinato (1) Até que a morte nos separe. (2) avião (1) Bacon (1) barrinha e cereal (1) Bonecas (2) Cabeça (1) cachorro (1) Cadê Deni”zs”e? (1) Caixa Preta (1) caos aéreo (1) carros (1) casa de malucos (1) cereser (1) Céu de Cereal (1) circo (1) Com Deus Só a Vista. (1) concurso (1) construir (1) conto (17) Conto de amor (1) Contos do Rio (4) Copa do Mundo (1) Copacabana (1) Coração Roubado (1) Cortazar (1) cronica (1) Crônica (1) Crônicas (1) desejo (1) Dia de Mãe (1) Dia dos Namorados (2) ditos (1) Do Frio e Branco Azulejo (1) Do Ponto de Vista da Inveja (2) Dos seus saltos (1) Encontros (1) engarrafamento (1) Engolir Palavras (1) espumante (1) Existe Vida após a Morte. (1) fantasia (1) farol (1) Fred (1) Fundo do Poço (1) gênio (1) Ginger (1) Hamburguer (1) humor (6) Idéias (1) Kama $utra (1) lâmpada (1) linchamento (1) luz no fim do túnel (1) Mãe (1) Mãe e Filha (1) manicômio (1) Maradona (1) Marias Chuteiras (1) Me acertou em cheiro (1) menage (1) Mentirinha (1) Mil e uma noites (1) Moleque de Rua (1) Musical (1) O Buraco (1) O Cão de olhos com brilho de diamantes (1) O Engolidor de Palavras (2) O Gênio Ombudsman (2) O Globo (1) O Homem que Não Queria Ir a Copa do Mundo (1) O Que Não é Mais Gente (1) O T da Questão (1) O Último Dia (1) obra (1) Obras (1) orelhão (1) Os cílios postiços dos postes da avenida (1) pão doce (1) Passatempo (1) Pensamento (1) pião (1) poema (7) poesia (6) Portabilidade (2) prosa (1) Quando Ela Perguntou a Ele se estava caindo (1) revertere ad locum tuum (1) rosquinha (1) Saindo do armário (2) Sobre a última Estação. poesia (1) soco (1) sonha-me (1) suruba (1) swing (1) Técnico de Futebol (1) tecnologia (1) Teu Esmalte (1) Teu jogo (1) Top Blog (1) Traição (1) troca de casal (1) trocando de mulher (1) Ursula Andrews (1) Vida (2) vida de cão (1) Vida de Operário (1) Vida. (1) Vingança na carne (1) violência (1)