quarta-feira, 22 de abril de 2009

A Unidos dos Dois na Sala.


Como temos novos leitores (ou seguidores, o que me faz sempre sentir o Edir Macedo) coloco aqui de novo a razão de tudo isso: meu conto finalista no Contos do Rio - do Jornal O Globo. Tem um tempo que já havia publicado e acho que vale a reprise. Espero que divirtam-se e comentem a vontade :)
— Maria Amália, pelo amor de Deus, o que é isso?!
Ela sabia, há mais de 30 anos, que ele só a chamava pelo nome composto quando a coisa era grave. Ele só usava este tom pra ver se conseguia trazer a luz à cabeça da mulher, que às vezes era leonina ao extremo.
— Maria Amália?
Ela sabia que ele repetiria o nome como se fossem palavras de ordem. Ele sabia que tinha que repetir, era o jogo.
— Vai me ajudar ou vai ficar só olhando, Carlos Alberto!
Casados há mais de 40 anos, já foram amor, paixão, ternura, depois “pai” e “mãe” e hoje, sem os filhos por perto, quase não se chamam mais. Já tem todos os rituais, horários, lugares da casa decorados. Sabem com exatidão quando um entra, quando o outro sai, e assim, passaram a não precisar mais usar seus nomes. Ela surgiu da cozinha carregada de coisas.
— Sabe há quanto tempo eu peço para ir a um desfile de Escola de Samba, Carlos Alberto?
Duas vezes o nome composto usado por ela. A coisa era grave. Ele a ajudou a pousar os sacos pretos de lixo, repletos de bugigangas.
— Ano que vem, ano que vem, ano que vem... Cansei! O Sambódromo só conheço de passar ao lado quando íamos visitar sua mãe em Niterói! Hoje nem isso!
Era sagrado. Uma vez por mês, num domingo, a ida e volta dentro da Parati 99, Laranjeiras ao Barreto. Um dia a sogra morreu.
— Agora, sabe onde vai ser o desfile?
Ele apenas levantou as sobrancelhas.
— Aqui em casa!
As sobrancelhas agora pareciam querer voar da sua cara.
— Isso mesmo, Carlos Alberto, fiz uma fantasia para cada Escola de Samba. E como você nunca me levou ao desfile, vou desfilar em todas as Escolas. TO-DAS!
E deixou cair o último saco preto. Foi em direção à TV e ligou. Pela telinha os dois viram a animação da platéia, a repórter que perguntava à destaque sobre a emoção, e o comentarista errar uns três ou quatro nomes dos famosos que apareciam. Em cinco minutos começaria o desfile. Ele em pé, petrificado. Ora olhava para ela, ora para a televisão.
— A União Do Rio Bonito está quase na avenida e minha ala é a segunda!
Ela pegou um dos sacos e sumiu para o banheiro. O enredo era “As Maravilhas do Engenho e o doce sabor encantado do néctar do açúcar”. Logo surgiu na sala enrolada em dois bambus e com quilos de açúcar empilhados na cabeça. Tudo amarrado por uma touca transparente. Ela notou o que ele queria dizer pela expressão dele.
— É improviso Carlos Alberto! Improviso! Pesquisei e vi que o caminho era a ala da Cana de Açúcar.
— Mas, um bambu?
— Parecido Carlos Alberto, parecido...
A Escola entrou quase que imediatamente. E lá foi ela cantando o enredo e evoluindo pela sala. E lá foi ela sambando, cantando a plenos pulmões. Ao final dos 80 minutos desabou ao lado do marido, exausta. Ela sorria. Ele a abanava com a toalhinha da mesa de centro.
— Nossa, se eu soubesse que era assim, eu já tinha desfilado antes...
— Quer uma água? Um suco?
— Não posso, tenho que me trocar que a União de Santo Arcanjo já esta na concentração...
O enredo era “Da negritude ao encanto que sucumbe a nova raça digital.”. E surge com rosto pintado de preto. Um monitor de computador vazio fazia um capacete. o marido não conteve o riso.
— Pode rir, Carlos Alberto, mas este ano a gente ganha!
E o desfile teve início. A empolgação parecia maior. A tinta do rosto escorria manchando o vestido. Ao final ela parecia um mecânico no final de um dia. Ela arfava e ainda sorria.
— Tira a mesinha, tá atrapalhando... E água, preciso hidratar...
Ele correu para ajudar. Mesinha fora, água pra dentro. E mais uma troca de roupa. A Mocidade Velha Guarda já estava pra entrar para levar seu “Darth Vader versos o Dragão da Maldade em sonhos de celulóide”. Ela surge de gueixa e espada Jedi, que o neto emprestou. Sambou e pulou como se não houvesse amanhã. De gueixa virou Carlitos, bengala um toco de madeira. De Carlitos se torna Cleópatra, a cobra uma mangueira velha. Ele, tal qual um técnico de futebol, sem abandonar sua área, vez por outra oferece água ou alguma instrução. Após a penúltima escola ela desaba na poltrona.
— Já são mais de seis horas de desfile... Olha o coração, amorzinho...
Neste momento os olhos dela brilharam. Os dois haviam recuperado por um momento uma cumplicidade que ela já não via há muitos carnavais. Ela lembrou por um momento do rapaz que havia lhe abordado no baile pré-carnavalesco do Fluminense. Ele estava ali, em algum lugar daquele rosto enrugado que a olhava com preocupação.
— Só falta uma, meu amor... São seis por dia...
Ela levantou com certo esforço e caminhou até o banheiro arrastando atrás de si o último saco preto. De lá saiu como baiana improvisada, uma bola de futebol na cabeça.
— Baiana, Maria Amália?!
— Baiana é mais fácil. Só fica evoluindo quietinha...
O locutor anuncia a Porto do Império, com “Dois pés do craque surge as maravilhas de um chão de estrelas”. Ela começa a evoluir e tonteia. Ele a segura. Ela o empurra com delicadeza. Evolui mais uma vez e mais uma cambaleada. Ela desaba aos prantos no sofá.
— Me ajuda Bebetinho... Me ajuda... Bebetinho.
Aquele nome o fez remoçar uns 30 anos. Talvez mais. Sem pestanejar, ele despiu a mulher cuidadosamente. E sempre de olho na TV, até para não perder os pontos e atrapalhar a escola, surgiu Carlos Alberto vestido de baiana. Ele começou a evoluir um tanto ou quanto travado. Mas, em segundos, era uma alegria só na avenida. Ele ainda olhou para o sofá e a viu dormindo, sono solto, seios à mostra. Mesmo assim não parou. Cumprimentou os jurados, acenou para o Sambódromo lotado e fez o que tinha que ser feito. Sua única certeza era de que tinha que estar preparado.
Afinal, no dia seguinte teria que enfrentar mais oito horas de avenida.

#

108 comentários:

Experiência Diluída disse...

Adorei o texto, triste por já estarem acomodados com o tempo, mas no final, um lindo desfecho revigorando o que os dois tinham em comum. Parabéns, adorei mesmo!

22 de abril de 2009 13:52
Alan Salgueiro disse...

Marton, não poderia haver título melhor! Acho que eles foram à forra depois de tantos quases e aproveitaram tudo que tinham pra aproveitar, e haja fôlego! Muito bem escritos também os enredos, e as fantasias. Será mesmo um escritor ou então carnavalesco?

Sobre "Voluntários da Pátria", não é uma banda e sim um grupo performático, fazemos circuitos de música, poesia e reflexões coletivas, além de manifestações de cunho social. Quem está à frente do projeto é o músico Tico Santa Cruz, vocalista da banda Detonautas.

Captou bem o espírito do texto lá no 'Versos', eu gosto sim de aplicar uma certa musicalidade ás palavras que escrevo. Vou procurar saber mais de "The National, About Today" que houvera citado...
E também vou linká-lo na minha lista de blogs recomendados.

Sucesso, amigo!

22 de abril de 2009 23:47
desvinculos disse...

Como sempre, excelente texto... és genial a cumplicidade do samba!!!

24 de abril de 2009 07:57
Kacau disse...

Realmente esse foi mais um texto simplesmente incrivel,muito legal essa sua forma de homenagear o Carnaval.

http://messnatural.blogspot.com/

24 de abril de 2009 11:36
Thais Puga®. disse...

Cara... muito bom esse texto!

Adorei o jeito que homenageou o carnaval ... PErfeito!

Té,
beijos. xD

29 de abril de 2009 21:58
O lado quente do ser disse...

Belo texto, sempre fui lendo seus textos, mas nem sempre comentava... sempre está bombando por aqui né verdade?!
hauahauahuahaua
Um dia me falou para tentar escrever contos, segui a dica, escrevi dois, que já postei, inclusive um foi o último e o outro é "o homem sorridente" ficaria alegre se desse uma olhada e me desse umas dicas! Um grande abraço!

30 de abril de 2009 11:31
Wander Veroni disse...

Adorei o conto, principalmente a humanidade dos diálogos. Espero que vc ganhe o concurso lá do Globo!

Abraço

2 de maio de 2009 11:35
Pablo disse...

Parabéns pelo texto amigo .. realmente muito bom .. realmente esse texto merecia estar entre os finalistas de concursos de contos !!!

Vou virar seguidor do blog !

http://www.toupeiracorreio.blogspot.com/

2 de maio de 2009 11:36
Letícia disse...

Ótimo Blog, Parabéns pelo texto !
Realmente muito bom.

2 de maio de 2009 11:36
Otávio B. disse...

Confesso que dei boas risadas, principalmente com a parte do bambu imitando cana-de-açúcar, e também na hora da baiana. É impressionante como o tempo acomoda e incomoda também.


Abraços

http://bauhausleben.blogspot.com/

2 de maio de 2009 11:37
Marcelo A. disse...

Muito legal... Acho que já tinha lido isso antes, por aqui. Também quis participar desse concurso, mas na época, acabei perdendo o prazo...

Parabéns!!!

2 de maio de 2009 11:46
Ellen D.B. disse...

Adorei a forma como você compõe a narrativa [=
Parabéns! Já virei seguidora.

2 de maio de 2009 12:06
Fábio Flora disse...

Adorei o texto, os diálogos sem fantasia, os títulos dos enredos – com toda a fantasia que lhes é peculiar... Abraços e sucesso com o blog!

2 de maio de 2009 12:20
Gabriel disse...

otimo blog....

2 de maio de 2009 12:54
tollen disse...

Fala cara..
parabéns pelo texto. A alma do brasileiro está traduzida em cada fala desses diálogos.

abs,

2 de maio de 2009 13:04
Eduardo Meireles disse...

bem interessante, mas não sou mto bom nessas análises... mas viva o carnaval

2 de maio de 2009 13:31
Pablo disse...

Belo texto =)
Adorei !

2 de maio de 2009 13:33
Jê Assis disse...

Pow, o teu blog é maneiro.
Vc tem uma habilidade incrível pra escrever. Gostei deste teu post.
O desfecho foi maravilhoso.
Abraços.

2 de maio de 2009 13:37
Arlindo000 disse...

legal o texto,adorei mesmo

3 de maio de 2009 11:36
ninainwonderland disse...

que criatividade! gostei muito do texto.

3 de maio de 2009 11:40
Nandy disse...

Nossa o texto eh grande , mas li ateh o final! maravilhoso teu texto!

perfeito!

http://www.gratismegadownloads.blogspot.com/

3 de maio de 2009 11:41
J. C David disse...

Edir macedo não..vc pode ser coisa muito melhor..

agora parabéns, e vc merece, muito bom..

3 de maio de 2009 12:10
Luan F. Bittencourt disse...

Muito interessante o texto e muito bem escrito também! Muito legal!
=D

3 de maio de 2009 12:36
Mateus Ksyvickis Luz disse...

Adorei o texto... Mostra a realidade de um casal, com o relacionamento desgastado com o passar do tempo. Fora isso, mostra a cultura brasileira, o samba, a folia... E o final, não poderia ser melhor...

Adorei...
Parabéns pelo Blog!!

Espero receber sua visita no meu tbm... Fica o convite:

http://guardeparaosdiasdechuva.blogspot.com/
* ... celebridades, música, cinema, política... *

3 de maio de 2009 12:36
Fernanda, disse...

amei seu blog.. ^^

3 de maio de 2009 12:38
Adm. Marcelo Leite disse...

Mto interessante aqui
super dicas.

3 de maio de 2009 12:59
Anônimo disse...

Já li alguns de seus textos e contos, todos com muita sensibilidade...

Adoro o título dos "enredos" só isso já é um espetáculo à parte.

Texto muito bem humorado e realista que apresenta que a mesmice sempre procura algo a mais, mesmo depois de muito tempo! Adorei, como adoro tudo o que faz, escreve.

Beijos, muitos

3 de maio de 2009 13:40
Obi-wan disse...

um excelente texto! parabéns, vou seguir o seu blog, o conteúdo me prendeu mesmo!

Abraço!
(Gustavo)

http://espectrodecapuz.blogspot.com/

3 de maio de 2009 14:19
Inez disse...

De todos os seus textos que já li esse é o melhor e mais bonito.
Embora com um pouco de fantasia relata histórias de casais que se acomodam na rotina com o tempo, de repente percebem que a vida está passando e eles poderiam aproveitar melhor.

3 de maio de 2009 14:30
Indira disse...

Ótimo texto!
Dei tanta risada!rsrs
O teu blog é fantástico!Voltarei aqui mais vezes.

:D

Indira

3 de maio de 2009 16:04
Fabricio bezerra da guia disse...

boa sorte ,Bispo,vou frequentar a sua igrej...blog

3 de maio de 2009 16:11
JPSB disse...

Muito boa sua postagem... adorei seu blog... vou ser um seguidor!
Parabens pelo trabalho!

http://webmaster-jp.blogspot.com/

3 de maio de 2009 16:19
Carol Petry Matzenbacher disse...

hahahah bem legal. o titulo ta fantastico também!
Filhas da PUC
www.filhasdapuc.com

6 de maio de 2009 18:41
Martins disse...

MUito bom o título e o texto. Gosto muito so seu estilo, venho ao seu blog constantemente. Excelente homenagem.

6 de maio de 2009 19:19
gugaltbg disse...

Maria Amália!
Muito bom o texto inteiro. Abraço!

6 de maio de 2009 19:19
Renan Damasceno, disse...

Marton,

que ótimo blog, que delícia de conteúdo. Parabéns.

Deixei salvo para vir lê-lo com mais calma.

grande abraço

www.moviolaposmoderna.blogspot.com

6 de maio de 2009 19:21
Natty disse...

ótimo, ri muito.
beijos

6 de maio de 2009 19:42
Guttwein disse...

Uma narrativa impar!. Não é a toa que há frequentadores fieis por cá!.Existe qualidade. Parabéns Marton!
.
http://bloggalemdoqueseve.blogspot.com/
.

6 de maio de 2009 20:37
Antonoly disse...

Gostei muito do final do conto, parabéns cara!

6 de maio de 2009 23:16
Junior disse...

sakopkaspokopsa
cara teu texto tem um toque de humor bem legal, a mulher realmente queria que carlos alberto levasse ela,
adorei a parte das fantasias dela

6 de maio de 2009 23:26
avassaladorasrio disse...

Querido amigo avassalador...
Adorei o conto. espero que tenha premiação.... e a ideia de desfilar em todas as escolas foi muito boa kkkkk ese casamento jamais será o mesmo kkkk

7 de maio de 2009 07:57
BoY Dan ;D disse...

O texto titas bos risadas, rsrsr.. adoro isso,vc vai lendo e da vontade de ler mais ainda,textos assim são nota 10

7 de maio de 2009 08:19
Rafa Amaral disse...

Parabéns pelo conto, esse merece mesmo ser um finalista. Adorei o espaço. Valeu!!! Se gosta de cinam venha conhecer meu blog:

http://cinemasemtempo.blogspot.com

7 de maio de 2009 09:15
Canto do Lufa disse...

É maravilhoso porque o personagem
se coloca em uma sitaução inusitada

O desenrolar da história é fantástico!


Gostei muito

7 de maio de 2009 09:18
Rogerio Lima disse...

Entendo seu ponto de vista em relação ao termo "Poemas Goticos", eu acredito que aja muitos poemas por ai, "rotulei" para ser um Blog especifico para só uma cultura.

Abraços.

http://poemasgoticos.blog.oi.com.br

7 de maio de 2009 13:45
Rosangela A. Santos disse...

Esse seu texto tem mesmo haver om um filme?

Adorei .. a leitura ficou gostosa e prende agente .. rsrs

Abç.

8 de maio de 2009 15:30
visitemongohelson disse...

belo belo texto! Parabénspelo blog!!!!

8 de maio de 2009 15:35
Caio Ricci disse...

Pô...excelente.Sem ressalvas.
Parabéns!

8 de maio de 2009 16:11
Filippe disse...

MUito bom o texto mesmo! Parabens!!!

8 de maio de 2009 16:14
Ana Célia disse...

E o samba une o casal, já esfriado pelo tempo...

ótimo texto!

8 de maio de 2009 16:34
mateus disse...

uheauhauhea
gostei gosteii
abrraço

8 de maio de 2009 18:55
I want it all ~ disse...

Show !
Obgg pelo comentário lá, viu?
*---*
Bjs :*

9 de maio de 2009 01:35
One Day disse...

adorei!
me cansei por ela no começo.
mas no final tudo da certo né :P
beeijo
www.andnobodyelse.blogspot.com

11 de maio de 2009 20:48
Inez disse...

Tem um selo pra você no meu blog, dá uma passadinha lá pra pegar.

12 de maio de 2009 22:46
Rodrigo Nascimento disse...

O Carnaval contagia, revigora e o melhor de tudo nos rejuvelhece e nos da animo e força para encarar o resto do ano... Muito legal mesmo a história desse Casal que antes do carnaval estavam tão distante e ao final estavam intímos como a trinta anos atrás. bacana mesmo.
ABRAÇO

14 de maio de 2009 13:49
BoY Dan ;D disse...

Um situação inusitada usauua o cara passa,Mas eu ñ conseguir tirar o olho do aplicativo q vc tem U.U. akele que mostras a onde estão seu leitores. Natal, Recife bla bl bla. me manda o codigo dele *-*
http://blogsfo.blogspot.com/

23 de maio de 2009 12:26
liandro disse...

Alguem me ajuda que eu to passando mal de tanto rir..
Ilário..

23 de maio de 2009 12:34
Anderson Meireles disse...

MUITO BOM ESSE TEXTO. GOSTEI DAQUI, VOLTAREI MAIS VEZES,
ABRAÇO!

23 de maio de 2009 12:42
T.aaaatý disse...

ME INSIPIRO EM VOCÊ QUANDO ESCREVO. TENHO 15 ANOS E JÁ ESCREVI 2 LIVROS, PORÉM, NÃO OS PUBLIQUEI. APENAS MANDEI IMPRIMIR PARA MEU PRÓPRIO ACERVO. NÃO PUBLICO TEXTOS DE MINHA AUTORIA EM MEU BLOG, POIS, TENHO MUITO MEDO DE 'PLÁGIO'. PARÁBENS. BEIJO, TATY.

23 de maio de 2009 12:43
Marcos Vinicius Lima de Almeida disse...

Muito bem escrito seu texto. Prende a atenção da gente...
Um nome carrega um sentido muito maior que seu simples significado sonoro...

gostei bastante,

um grande abraço.

23 de maio de 2009 12:47
Carina Costa disse...

ai que perfeito!
Eu queria poder escrever tão bem.
Que história maralvilhosa! Nunca é tarde para recomeçar!
Parabéns!
:*

23 de maio de 2009 12:56
Thalles Fontana disse...

Muito bom o texto!!!
Parabéns

23 de maio de 2009 13:08
Adm. Marcelo Leite disse...

Adorei!

23 de maio de 2009 13:11
Fabricio bezerra da guia disse...

parabens pelo seu blog,vc escreve bem,eu só acho que vc devia escrever um texto menor,bom é claro que o texto é seu,se os leitores não gostarem,eles que não leiam.Eu não gosto muito de samba ou de carnaval.

23 de maio de 2009 13:18
Carlos Arioli disse...

Muito bom o seu texto, fiquei imaginando a velhinha com os sacos de açúcar na cabeça...rs

abs

23 de maio de 2009 13:35
MattXFrehley disse...

interessante

23 de maio de 2009 13:41
Arlindo disse...

Gosto de textos assim,no começo triste,depois vai ficando melhor^^

24 de maio de 2009 12:48
Ricardo Thadeu disse...

Muito bom mesmo, man.
A brincadeira dos nomes me fez rir aos caminhões.


¡adiós!

24 de maio de 2009 12:50
geralidadesdavida.net disse...

Muito bom o texto! Chega um tempo que acomodamos com as coisas e pessoas e não vemos o lado bom da vida.
Mas esse casal soube dar a volta por cima!
Parabéns

24 de maio de 2009 14:25
geralidadesdavida.net disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
ArthurFlash disse...

Muito bom, parabéns, adorei sua forma de homenagear o carnaval, o samba, a forma como escreveu o texto. Tudo, muito bom!

Parabéns, abs!

24 de maio de 2009 14:28
.Glen disse...

hahhaha. gostei!!

24 de maio de 2009 15:18
JOão Victor disse...

adoreii o texto! Genial!
Me fez lembrar um texto meu... iii.. meu não, do Veríssimo. Só que com uma "intromissão" minha no final.
Se puder daH uma olhada laH:

http://listadeideias.blogspot.com/2009/04/bandeira-branca_04.html

Um abraço.

ps: Muito legal seu blog. Parabéns!

24 de maio de 2009 15:22
Rubens disse...

É o amor pelo carnaval é isso, ver cada escola, cada detalhe, e muita disposição para ver, imagina quem passa horas sambando lá.

BLOGdoRUBINHO
www.blogdorubinho.cjb.net

24 de maio de 2009 21:51
Arthur Melo disse...

muito bom.

24 de maio de 2009 21:57
JaCoNa disse...

O titulo caiu cm uma luva...
Achei a história mtu legal...
Haja imagnação hein?? shuahuahaushsausa
Viva ao Carnaval xD

Bjaum

24 de maio de 2009 21:59
Inez disse...

Como eu já disse uma vez amei esse conto.

24 de maio de 2009 22:39
Luciana disse...

Excelente conto!

Vim conhecer o blog e já percebi que se trata de um blog de altíssimo nível!

Parabéns!

Abraços!

30 de maio de 2009 19:31
Rafael Max disse...

Parabéns pelo conto!

30 de maio de 2009 19:32
FILHO DO CÉU disse...

Uffa!seu link de postar comentário e bem pequeno quase num vi.

Tenta melhorar isso meu velho abraços

30 de maio de 2009 19:35
Leandro R. disse...

Bom texto. Atualize mais o seu blog e logo ganhará leitores fiéis.

30 de maio de 2009 19:37
Pamella disse...

Muito interessante a postagem!
Parabéns.

30 de maio de 2009 19:45
Diego Martins disse...

Muito bom seu texto!Parabéns!
Blog Telenotícias!!!

Visite o Blog Telenotícias, coluna de esporte, celebridades, notícias e muito mais!
http://www.blogtelenoticias.blogspot.com/

30 de maio de 2009 19:50
Leandro R. disse...

Tira essa senha aê!

Os comentários são quase sempre os mesmos...

Parabéns pelo blog, bela postagem...

30 de maio de 2009 19:56
' Lαιαиє disse...

Ótimo blog.;
Adorei o texto, mto bem escrito.

=D

1 de junho de 2009 00:49
Alan Salgueiro disse...

Aqui já comentei amigo, fui um dos primeiros. Aguardo atualizações para prestigiar mais veze seu trabalho.

1 de junho de 2009 00:56
renata menezes disse...

adorei a idéia do blog, e a idéia e simplicidade desse texto :)

1 de junho de 2009 01:08
Guttwein disse...

A parte do bambu imitando cana-de-açúcar, e também na hora da baiana....rsrs...hilário!!! É impressionante como o tempo acomoda e incomoda também.
Queria poder ter participado do concurso de alguma forma...e esse seu texto, pô, deveria estar ao menos entre os finalistas!


Abraços

2 de junho de 2009 18:25
Tati Claro disse...

Que texto maravilhoso!
estou tentando escrever um conto, mas tenho dificuldade com os dialogos.Nunca sei como desenrolar uma conversa.

2 de junho de 2009 18:36
Inez disse...

Esse seu texto é fantástico.

2 de junho de 2009 19:00
amandaedalete disse...

Fantastico! Nada como um toque de realidade no texto.

2 de junho de 2009 19:05
lumartins2908 disse...

mto bom :D

http://tiomah.blogspot.com/

2 de junho de 2009 19:09
Leticia disse...

super legaal; realmente adorei. beeijos


Visite:http://brise-coeur.blogspot.com/

2 de junho de 2009 19:37
→Aท@ ¢A®0ℓ!ทA← disse...

Lindo o texto... Sensível, gostoso de ler... Adorei mesmo! ;)

=**

2 de junho de 2009 19:40
Diego Janjão disse...

bom...

7 de junho de 2009 12:13
José Carvalho Neto disse...

Não é atoa que foi finalista... mot bom texto... vc tem basntante talento.. abraços ...

7 de junho de 2009 12:22
melke disse...

Delicioso!!!
Adorei seus textos... to impressionada de verdade. Não vou parar de ler...

8 de junho de 2009 19:08
Raiana Reis disse...

Gracioso como o sorriso de folião quando entra na avenida!
Que delícia de texto... pensei que ainda tinha mais... me apaixonei pelo casal, a beleza de um amor maduro e cúmplice, o uso de pequenos prazeres no intuito de reavivar sonhos e compartilhar sensações vividas!
Sou fã a cada texto que leio, parabéns pela sua criatividade e a beleza que entrelaça seus contos!
Parabéns e sucesso pelo seu caminho!
Abraços ou beijos já que é de beijos!
Bom feriadão!

11 de junho de 2009 03:10
Jaime Guimarães (Groo Veiga) disse...

Olá!

Muito bom o seu conto. Eu acho até que poderia ter uma continuação, tipo um desdobramento, até a quarta-feira de cinzas e o resultado oficial das escolas de samba. Acho que com sua "pena" ficaria bem legal.

abs!

11 de junho de 2009 13:07
Roni SkyDiver disse...

Rapaz que texte hein? Coisa rara é encontrar um blog com conteúdo como o seu, parabéns

14 de junho de 2009 21:25
Vivica Bolacha disse...

Caraca, conto maravilhoso! Tu é foda, hein! Muito bom!

Tenho arriscado escrever alguns contos, vamos ver se um dia fica com essa leveza que tem tuas histórias.

Beijos

15 de junho de 2009 01:38
kbritovb disse...

ahahahahah mto bom
parecido parecido
hahaha

16 de junho de 2009 12:26
danisiinha disse...

e oq ue nao se transforma com tempo não é mesmo? tem uma tristesa poetica e comum , nessa cena que eu pude ate visualizar ... amei....

21 de junho de 2009 15:53
Anônimo disse...

Fantástico!
Você tem o dom "pra coisa".

22 de junho de 2009 01:14
jonas-16 disse...

O tempo é algo que mascara o que realmente somos, ainda bem que eles não permaneceram acomodados, e que o carnaval serviu de enlace.

22 de junho de 2009 11:09
Canto do Lufa disse...

Esse texto é uma delícia!

Acho que já tinha lido atnes mas ele é muito bom!
Engraçado.

Gosto de quando as pessoas lidam com situações absurdas e arrumam uma solução criativa absurda

23 de junho de 2009 01:00
Rogerio disse...

testo super interresnate...gostei...

2 de julho de 2009 21:49
JOYCE disse...

ADOREI! RI E QUASE CHOREI NO FINAL...
BEIJOS.

18 de fevereiro de 2012 15:29

Marcadores

3G (1) A Fábula do Pé Sujo (1) A Fábula do Pé Sujo. (1) A Lápide (1) A Tal da Portabilidade (1) A Unidos dos Dois na Sala (1) A Virada do Ano (1) aeromoça (1) aladin (1) Amor a primeira vista (2) amores impossíveis (1) ano novo (1) Arrumação (Em Cadeados) (1) As Cores Dela nas Paredes da Cabeça Dele (1) As Sereias da Estante (1) Assalto (1) assassinato (1) Até que a morte nos separe. (2) avião (1) Bacon (1) barrinha e cereal (1) Bonecas (2) Cabeça (1) cachorro (1) Cadê Deni”zs”e? (1) Caixa Preta (1) caos aéreo (1) carros (1) casa de malucos (1) cereser (1) Céu de Cereal (1) circo (1) Com Deus Só a Vista. (1) concurso (1) construir (1) conto (17) Conto de amor (1) Contos do Rio (4) Copa do Mundo (1) Copacabana (1) Coração Roubado (1) Cortazar (1) cronica (1) Crônica (1) Crônicas (1) desejo (1) Dia de Mãe (1) Dia dos Namorados (2) ditos (1) Do Frio e Branco Azulejo (1) Do Ponto de Vista da Inveja (2) Dos seus saltos (1) Encontros (1) engarrafamento (1) Engolir Palavras (1) espumante (1) Existe Vida após a Morte. (1) fantasia (1) farol (1) Fred (1) Fundo do Poço (1) gênio (1) Ginger (1) Hamburguer (1) humor (6) Idéias (1) Kama $utra (1) lâmpada (1) linchamento (1) luz no fim do túnel (1) Mãe (1) Mãe e Filha (1) manicômio (1) Maradona (1) Marias Chuteiras (1) Me acertou em cheiro (1) menage (1) Mentirinha (1) Mil e uma noites (1) Moleque de Rua (1) Musical (1) O Buraco (1) O Cão de olhos com brilho de diamantes (1) O Engolidor de Palavras (2) O Gênio Ombudsman (2) O Globo (1) O Homem que Não Queria Ir a Copa do Mundo (1) O Que Não é Mais Gente (1) O T da Questão (1) O Último Dia (1) obra (1) Obras (1) orelhão (1) Os cílios postiços dos postes da avenida (1) pão doce (1) Passatempo (1) Pensamento (1) pião (1) poema (7) poesia (6) Portabilidade (2) prosa (1) Quando Ela Perguntou a Ele se estava caindo (1) revertere ad locum tuum (1) rosquinha (1) Saindo do armário (2) Sobre a última Estação. poesia (1) soco (1) sonha-me (1) suruba (1) swing (1) Técnico de Futebol (1) tecnologia (1) Teu Esmalte (1) Teu jogo (1) Top Blog (1) Traição (1) troca de casal (1) trocando de mulher (1) Ursula Andrews (1) Vida (2) vida de cão (1) Vida de Operário (1) Vida. (1) Vingança na carne (1) violência (1)