sábado, 27 de junho de 2009

Existe Vida após a Morte.


Eu na Praça Mauá, Dia de Finados, por volta de três e pouca da manhã.
O que Eu fazia por lá? Não vem ao caso. Só sei o que o relato que você vai ler, espero, agora, aconteceu de fato.
A Boite estava vazia. Algumas prostitutas dançavam como zumbis na pista, em meio as luzinhas que refletiam do globo de prata pendurado no teto. Zumbi´s in The Sky of diamonds, escreveria Lennon.
Parecia uma reedição do clipe do falecido Jackson, mas com toques mais terríveis.
Enquanto Eu via o rebolado de uma velha gorda de short de lycra ínfimo, pensava na morte da bezerra. Para melhorar a aparência de tudo e todos ao redor, Eu bebericava um autêntico 12 anos falsificado. Eu e meu fígado havíamos brigado faz tempo.
(MORTE)
- Pediu um doze anos aqui? De matar, hein?
E lá estava ela na minha frente. Manto preta, capuz, foice e sem um rosto definido. Apenas um buraco para o nada servia de rosto.
Pois é, a Morte em carne e osso. Não tive nem como encará-la. Fiquei pensando “Chegou minha hora.” E esperando aquele filminho com toda nossa vida passar em minha frente, ou uma luz brilhante, ou ver São Pedro me perguntando o nome. Nada.
(MORTE)
- Não, não é sua hora. Fica tranqüilo... - Disse ela com sua voz tranquila e acolhedora.
“Será que ela consegue ler pensamentos?” – Pensei.
(MORTE)
- Sim, consigo.
(EU)
- Nossa, isso é tão invasivo! - Me sentia nú diante da Morte.
(MORTE)
- Ok, ok, eu paro! - E riu cínica, como ela só.
“Será que devo acreditar na morte?” Me indaguei.
(MORTE)

- Claro amigo. É a única certeza da vida... -Disse ela buscando uma cadeira.
(EU)
- Porra! Você falou que ia parar!
(MORTE)
- Juro que parei! – Disse gargalhando. – Se eu não parar quero que um raio caia na minha cabeça e me... Mate! – Riu até ficar vermelha. Não sei como sei, mas ela ficou vermelha. Ela puxou uma cadeira e sentou-se a minha frente.
(MORTE)
- Posso? - Antes que eu respondesse, ela completou - Claro, né? Afinal, a Morte pode tudo! -
Mais risos daquela figura estranha. Não contive minha curiosidade.
(EU)
- Se você não veio me buscar, o que é isso? Quer me matar de susto?!
(MORTE)
- Não, ainda não. E nem é de susto que você vai morrer.
Ela deixou uma pausa de um segundo no ar. Como se eu tivesse que refletir a respeito. E apesar de seu rosto não ter olhos nem boca, ela me olhou de canto de olho, com um sorriso maroto.
Mesmo curioso, nem quis saber do dia, hora e local. Afinal, quem morre são os outros. E a gente só fica sabendo das notícias.
O Garçom se aproximou com aquela boa vontade típica da madrugada. A Morte pediu um Campari e uma porção de queijo provolone.
(GARÇOM)
- Não tem, só tem queijo prato!
(MORTE)
- Traz prato mesmo... Não, faz o seguinte: manda ver nos acepipes! Um monte que a fome é negra!
Antes do Garçom ir embora não resisti.
(EU)
- Amigo, desculpe a pergunta mas... Você não fica impressionado de ver a Morte assim na sua frente?
(GARÇOM)

- Depois de mais de vinte anos de Praça Mauá, já vi de tudo... Siceramente? Fico mais impressionado de você conseguir tomar esse 12 anos.
Encarei o whisky com olho de verdade. Nem o gelo parecia legítimo. Empurrei meu copo de "Juanito Caminhante" para longe de mim.
Resolvi acompanhar a Morte nos Camparis. Quatro doses e petiscos depois, a Morte já sacudia o esqueleto pelo salão, bolinando as putas e fazendo o lugar mais animado. Ela me olhou da pista de dança e veio em minha direção rodopiando a foice.
(MORTE)
- Que cara mais desanimada é essa amigão, alguém... morreu?
Ela ficou me encarando por um segundo e depois caiu na gargalhada. Tive que rir junto.
(EU)
- Realmente não sei como consegue.
(MORTE)
- Consigo o que? – Ela não parava de dançar. Os ossos rangiam alto.
(EU)
- Com este seu carma, função... Sei lá, trabalho... Era pra você ser um pouco mais... Digamos... Reservada? Talvez?
(MORTE)
- Tem que pensar assim rapaz: a vida é curta! – Mais uma gargalhada. Eu tomei mais um gole daquele Campari sinistro pensando: "O que não nos mata..."
(MORTE)
- Nos fortalece! Este é o clima! Este é o clima!
Foi quando uma das "primas" fez tocar na máquina de música o Zeca:
E pelo local soou o coro: “Deixa a vida me levar...”
(MORTE)
- Vida leva eu! Adoro esta música! – Completou a Morte me puxando pelo braço para pista de dança. E lá fui Eu, sambando com a Morte, afinal, sua euforia, sua felicidade e, principalmente, sua vontade de viver eram contagiantes. Logo uma meia dúzia de putas velhas balançavam pelo salão com a gente. Cada um de nós tirava uma das moças pelos braços e bailávamos como se não houvesse amanhã. Depois veio a Macarena, o Créu e por último algumas canções do Waldick. De repente alguém sugeriu um Karaokê e todos tiveram sua vez ao microfone. Eu cantei alguma do Raul, enquanto a Morte fazia air guitar com sua foice. Mas a última coisa que me lembro é daquela figura de preto, com o olhar perdido no horizonte, cantando É Doce Morrer no Mar, imitando o Caymi a perfeição. Tenho que confessar que me levou as lágrimas. As putas também choravam e piscavam seus celulares com as mãos para cima. Praticamente um "Morte in Rio!"
A Morte me abraçou carinhosamente enxugando com suas mãos frias minhas lágrimas.
(MORTE)
- Ô rapaz, que isso?! A vida é bela!
(EU)
- É que esta música me mata...

(MORTE)

- Não é disso que você vai não meu filho... Pode ficar despreocupado.

Ela então sorriu, ou acho que sorriu, ou acho que a vi sorrindo. Tudo a partir daí é confuso.

Lembro do apito do Navio, do Cais do porto, do banco de praça e das pessoas chegando para trabalhar na Praça Mauá. Acordei.

Da Morte, apenas um bilhete em meu bolso:

“Quando você menos esperar, a gente se esbarra!”. E na assinatura, algo meigo: "Da sua, Morte!"

Não agüentei e tive que rir.

No final das contas é o de sempre. A morte é muito engraçada.

144 comentários:

Raiana Reis disse...

A primeira a comentar mais um conto do mestre?!Que honra! rsrs
Lindo! É unicamente o que agora sei dizer... com uma graça e leveza em na qual fala sobre a morte e a proximidade que ela pode nos acompanhar com seu tom bem humorado que a vida nos presenteia...
"A morte é muito engraçada."

27 de junho de 2009 20:24
Bersebah disse...

Adorei a narativa sobre o encontro com a morte, simplesmente inpagavel.
Foi de matar hehehehee
Opa! Será que ta chegando minha vez?

Obrigado pelo comentário em meu blog, fica com Deus!

27 de junho de 2009 20:29
Marcelo A. disse...

Me fez lembrar um velho ditado, que uma amiga sempre solta, quando se arrepia: "Passa morte que eu tô forte!"

Uahahahahahaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!

27 de junho de 2009 22:28
Vivica Bolacha disse...

Caraca, eu não aguentaria um encontro com a Morte. Se bem que se ela for animada assim, ficará mais fácil uma ida para o Céu...rs!

E quando tu falou em "primas", já achei a história fosse aqui em Porto Alegre. Sabe como é, aqui tem uma "tia" super famosa.

Beijos

27 de junho de 2009 22:30
Miranda disse...

Muito legal seu blog :D
da uma passadinha ake no meu
comecei agora, sabe como é ne ?
quanto mais divulgar melhor =)

Beeijo ;*

27 de junho de 2009 22:30
Israel Leal disse...

bicho, vc escreve muito bem! Pq num lança tudo num livro? Ficaria irado! dá uma passadinha em www.clubedeautores.com.br e vê se tu publica esses contos!

www.blogdoisrael.com

27 de junho de 2009 22:42
Marcelo Malta disse...

Um dia aconteceu isso comigo também, mas no meu caso foi caipirinha. :]

27 de junho de 2009 23:10
Vivica Bolacha disse...

Já li tudo aqui na frente. Fui pras postagens antigas!

28 de junho de 2009 01:30
Felipe disse...

Meu Deus!
Gostei muito do seu conto..
Quando digo muito, é muito mesmo... Imagine só ter um encontro desses com a morte? Muito bom mesmo... Você sempre arrasa nos seus textos!

http://cerebro-musical.blogspot.com

28 de junho de 2009 10:18
Eurotica. disse...

que incrível
sou apaixonada pela temática
e o texto ficou simplesmente perfeito
parabéns cara

http://cinta-a-liga.opvs.org/

28 de junho de 2009 13:51
calango azedo disse...

muito. muito bom

28 de junho de 2009 13:53
Viviane Souza disse...

Ótima crônica!Parabéns!
Um conselho: pará de beber esse autêntico 12 anos falsificado, kkkk!

28 de junho de 2009 14:20
Eliane Furtado disse...

Muito bom!

28 de junho de 2009 16:29
Eliane Furtado disse...

Adorei Marton.

28 de junho de 2009 16:29
mesclado disse...

Véio. Q tesão de conto. Faz tempo q não leio algo assim, ah, doze anos falsificado é foda. Mas a gente bebe do mesmo jeito né.

29 de junho de 2009 00:11
Edilaine disse...

Caramba, adorei seu texto!!!!
Q imaginação hein!!!
Cuidado da próxima vez q se esbarrar com ela!!! rsrsrs

29 de junho de 2009 01:16
apanhadogeral disse...

Ótimo conto. E a gente lê sem prestar a atenção no tamanho. É uma leitura gostosa. Adoro contos com bastante dialogos.

29 de junho de 2009 01:17
Tolerância Zero disse...

brother...juro que não leio contos compridos assim... e este eu imaginei que não leria..ia só dar uma olhadela e uma comentada meia boca! mas os eu me surprendeu..muito foda mesmo.......
a morte é foda....

29 de junho de 2009 01:32
Estêvão dos Anjos disse...

esse 12 anos quase te mata mesmo :p

a impressao que me causou é que esse encontrou foi na cabeça dele, provocado pela bebida... gostei muito da imagem irônica. esses temas envolvendo encontros com a morte é muito corrente na literatura, pegando dois casos mais recentes temos AS INTERMITÊNCIAS DA MORTE do Saramago e A MENINA QUE ROUBVA LIVROS, ambos tem a morte personificada. o legal é que todas foram construídas de modos diferente, tal qual os seus modos de agir...

se der me visita

www.artenaarteria.blogspot.com

29 de junho de 2009 01:33
Pedro Junior disse...

Muito bacana o texto bem trabalhado mesmo... mas se há vida ápos a morte iusso envolve um discução praticamente infinida... Mas de modo geral acredito que a morte é apenas uma passagem desse plano material, para um desenvolvimento espiritual..

passa la no meu blog, estou voltando ao blog.... agoro um só meu

http://blogpedrojunior.blogspot.com/

Tenha uma ótima semana!

Beijosss

29 de junho de 2009 01:37
danisiinha disse...

ei moço .... que coisa ! eu ficaria repetitiva em dizer que esta perfeitinho.... muito bom! ja virei fã de carteirinha ...

29 de junho de 2009 10:57
Bruno e Joyce disse...

Muito bem escrito. Envolvente.
Mas no final a vida não acaba,é só o organismo que para...

www.costabbade.blogspot.com

29 de junho de 2009 16:32
Kelly Christi disse...

Querido,se existe vida após a morte eu não sei, antes eu achava que tinha q osmente morrer pra saber, agora com seu conto, vc deixou a duvida rsss

bjitos

http://www.pequenosdeleites.blogspot.com

29 de junho de 2009 20:51
Menina do Rio disse...

Depois dizem que cachaça num mata!!!... 12 falsi?...Ainda bem que foi só uma visitinha, mas...tu num ficou curioso pra saber quando, nem a causa?


Não me lembro de termos nos encontrado antes e juro que não sou a senhora da foice; juro por tu, mortinha! Mas é bom te ver!
Obrigada pela visita

Beijos

29 de junho de 2009 21:25
Luiz Barbosa Neves disse...

A morte aderiu ao Twitter. Acho que ela está te seguindo.
A cena fica fácil com você escrevendo.

1 de julho de 2009 14:06
Renata de Sá. disse...

no coments... seguidora e não peço sua visita!
obrigada por publicar o que escreve!

1 de julho de 2009 17:27
KaKa Fuinha disse...

hauhauhauahuahahuh

eu tambem quero cantar karaoke com a morte fazendo air guitar!!!

xD

1 de julho de 2009 19:25
Rogerio disse...

nossa vc conversou com amorte...muito bom...e o bom que não tinah chegado tua hora...pq s enão vc não ia ter postado aki....rsrs....mas muiyto bom a storia hem

1 de julho de 2009 22:49
Mau disse...

“Quando você menos esperar, a gente se esbarra!” - Essa é de matar! kkkkkk!!!
Pelo tema, me lembrei do filme Encontro Marcado, que mostra a morte de uma maneira muito diferente... dá até vontade de morrer... rs...Brincadeiras à parte, o filme é bom mesmo. Gostei da sua crônica mortal!

Abraços!

Mau
http://frag-reflex.blogspot.com/

1 de julho de 2009 22:55
kbritovb disse...

hahahah mto loko o texto

1 de julho de 2009 23:09
kbritovb disse...

hahaha bem legal texto
a morte com seu humor de matar
nuss trocadilho ruim ¬¬
hahaha

1 de julho de 2009 23:10
rodrigo disse...

cada um pensa do seu jeito né
mas parabéns pelo conto muito bem escrito

2 de julho de 2009 00:16
mateusbonez disse...

hahaha, adoreii.
Realmente, a morte é hilária. UHAUAHUAh


http://tiomah.blogspot.com/

2 de julho de 2009 00:41
Viktor disse...

Puxa vida cara, você é muito bom!! Não dou risadas lendo um conto desde do tempo do "Que Loucura" do Woody Allen - aquele velho alien! Rs.

Bah, muito bom mesmo!! Vou te seguir com certeza!

Forte abraço, e parabéns pela criatividade!

2 de julho de 2009 09:05
' Láisa ¬¬ disse...

Já li duas vezes e até agora não para de surgir questionamentos sobre a vida, pois na morte agente pensa depois... (risos)

Amei os diálogos.
Amei os pensamentos...
Amei toda a história.

Foi um pazer ler!
Agora sou mais uma a te acompanhar!

Abraço!

--

Obrigada pela dica lá no meu blog! = *
--

http://www.eueminhasleiturasurbanas.blogspot.com/

2 de julho de 2009 10:55
30 e poucos anos. disse...

uuuuuuuuuuiii...deu frio na espinha!!!
Passa fora q sou mais forte !
hahahaha
Beleza de conto...parabéns

2 de julho de 2009 12:01
PanPum Flûor disse...

Fantastico, muito bom, brilhante D:
gostei muito.

to aqui ja sem palavras D:
D;

2 de julho de 2009 12:23
O grude disse...

Gostei do texto, escreves bem de uma maneira divertida de se ler. Agora acho que você viu a morte por causa dos 12 anos falsificado eheheheheheh

Abraçooosss

2 de julho de 2009 13:01
fabricio bezerra da guia disse...

quem diria ,a morte é espirituosa.
gostei do seu blog,a morte mata de rir mesmo

2 de julho de 2009 13:11
Livia Queiroz disse...

ADOREI ESSE CONTO...
TUDO PERFEITO: NARATIVA, DESCRIÇÃO...

E QUE MORTE MAIS LOUCA!!! HUAHUAHUAHUA


"a Morte em carne e osso."
ADOREI ISSO

2 de julho de 2009 13:24
Livia Queiroz disse...

opa... só uma curiosidade: vc sonhou isso mesmo? ou só ficção? ou só uma metáfora?

2 de julho de 2009 13:35
Vivendo deixando a vida me levar... disse...

Marlon que lindo txtooooo!!! hhaha e engraçado como a morte!^^
EStou retribuindo a visitnha, obrigada pelo coment!!!

Bjuss
=^.^=

2 de julho de 2009 16:53
Inez disse...

A única coisa que tenho certeza na vida é que vou morrer, só não sei quando.
Tem alguns selinhos pra você no meu blog.

2 de julho de 2009 19:48
kilder disse...

olá, valeu pelo comentario! então...a historia está começando agora, volte sempre!!!!

t+

2 de julho de 2009 21:47
Mandy disse...

já passei por aqui...
poxa, que texto magnífico. adorei de verdade mesmo.
me encantei com essa história da morte, mas é estranho ela aparecer só para conversar...

parabéns!
tchau

2 de julho de 2009 21:49
Inez disse...

Se acontecesse algo desse tipo comigo eu morreria de susto. kkkk
Muito criativo seu conto.

2 de julho de 2009 21:53
Felipe Luz disse...

Cara d+!

E falando nisso... Mauá tava ai esses dias...

2 de julho de 2009 22:06
One Day disse...

adorei o texto.
que Morte mais animada!
animada ou não, continuo tendo medo dela.
e sobre o título do post, sim, existe vida após a morte :D

um beijo
http://andnobodyelse.blogspot.com/

2 de julho de 2009 22:12
infantilismo disse...

Legal cara
a escrita ficou massa

2 de julho de 2009 22:12
Lê Stabiili disse...

rsrsrsrs!!!!
Poutz.....muito engraçado...!!!
Durante toda a leitura criei imagens mentais!
Muuito bom....vou passar aqui mais vezes!!!!



Abração tudo e bom!

2 de julho de 2009 23:09
Canto do Lufa disse...

A mulher parte disparada é o diálogo do garçom. Eu pude traçar o garçonm. Genial!

Gosto desse elemento surpresa!

O Garçon mandou muito bem, como foi brasileiro e bem humorado ainda com um tom de reclamação e ironia. Genial!

2 de julho de 2009 23:28
Renan disse...

parabéns kara peklo seu blog obrigado pelo seu comentario...
eu tmb naum sei pq mas denunciarao meu blog como conteudo para maiores...hsuhaau...boa sorte fica bem !

3 de julho de 2009 16:29
Antonoly disse...

Parar na Praça Mauá, de madrugada, não pode dar em boa coisa hahahahhahahahha.

4 de julho de 2009 19:43
kbritovb disse...

ow amigo coloca um post novo ae num tenho mais onde comentar hahahah

4 de julho de 2009 19:57
kikinhah disse...

Morte: A única certeza que temos na vida! rss
Cuidado com 12 anos falsificados... hahaha
Sucesso!
BjOs^^

4 de julho de 2009 19:58
Saulo Lopes disse...

Caraca, que sinistro, um encontro com a morte, rsrsrs...


Gostei do teu blog, é bem bacana!

Visite-me se não for muito incômodo.

http://saulolopes.blogspot.com

Abraço

4 de julho de 2009 20:39
Apelos e Apreços disse...

MUITO bom o texto. adorei mesmo!

4 de julho de 2009 21:14
Thiago - No Mundo Agora disse...

Não sei o que aconteceria em um encontro assim, acho que pediria que ela passasse daqui algumas decadas, HAHAHA umas 8 décadas :P

4 de julho de 2009 21:18
turmadoloid disse...

que legal, continue assim :DD

4 de julho de 2009 21:52
LADY DARK ANGEL disse...

ADORO HISTORIAS DE ENCONTRO COM A MORTE,MAS EU NUM SEI PQ,SERA Q EU TENHO ALGUM PROBLEMA^^

5 de julho de 2009 11:16
Wander Veroni disse...

Olá! Esse conto vc se superou, sem brincadeira. Muito legal o fato de uma pessoa encontrar com a morte e não ser levado por ela. Tem várias interpretações aí. Gistei muito, parabéns! Vc escreve super bem!

Abraço

5 de julho de 2009 11:29
Tainã disse...

Puta que conta legal...
publicas eles em algum outro lugar???
não sei quanto aos outros, mas esse encontro com a morte e digno de um "Correio da Manhã" (jornal de contos local!

5 de julho de 2009 11:29
Web Diàrio disse...

No final a morte é sempre engraçada!
Seu conto meu caro, é de matar!
muitissimo bom mesmo!
qualidade impar!

5 de julho de 2009 11:57
J. C David disse...

Muito bom o conto, de todos os seus, foi o melhor que eu li..

e como é legal essa morte não é, nos leva ao descanso e terno..kkkkk...

5 de julho de 2009 12:11
C. disse...

ótimo texto, narrativa interessante que descreve mto bem o encontro com a morte HEEUHEUHEHEU
mto bom o texto, parabens rapaz!

www.teoria-do-playmobil.blogspot.com

5 de julho de 2009 12:35
Aleatóriamente colorido disse...

Nossa, fiquei maravilhada!! Não só pela história como também medo modo que vc escreve. Parabéns!!

5 de julho de 2009 12:54
B.~* disse...

A morte é uma graça, nãop? Hihihi

Muito bom!

http://virandoocopo.blogspot.com/

5 de julho de 2009 13:33
Alexandre Silva disse...

SENSACIONAL!

Até que seria interessante ela fazer essa visitinha informal antes pra gente já ir se acostumando né?! Só por curiosidade, a música do Raul que vc cantou não era "Canto Para a Minha Morte" não né? :P
O legal do seu texto é que a gente consegue ir dsenhando os personagens na cabeça e visualisando tudo como se fosse uma cena, rsrsrs... muito bom

Abraço
http://falandoprasparedes.blogspot.com

PS: Tô linkando seu blog. Deve ser a 3ª vez que eu venho aqui e me deparo com um texto de ótima qualidade.

5 de julho de 2009 13:44
Pobre esponja disse...

É bom pensar em diversas formas de morrer; caso uma delas aconteça, ao menos morreremos como mártires videntes, rs...

abç
Pobre Esponja

5 de julho de 2009 13:45
Markinhus disse...

legal seu blog
sucesso para seu blog

www.bestgamesx.blogspot.com
votem no mascote do blog
abraço

5 de julho de 2009 14:29
antonio.pimenta disse...

Muito legal o seu blog!
Está de parabéns desejo muito sucesso e ficaria muito feliz se você visitasse o meu..

http://antoniopimenta.blogspot.com/

Abraços

:D

5 de julho de 2009 14:32
Arthur Melo disse...

Gostei de como vc abordou a temática morte através de um dialogo o que suaviza um pouco o tema. Afinal a morte é a única certeza da vida.



visite-me
http://www.arthurmelo92.blogspot.com/

http://www.thinkkabout.blogspot.com/

5 de julho de 2009 14:45
Jefferson Prime disse...

caramba achei muito massa seu texto...o jeito como vc retratou a morte me lembrou muito a morte da hq SANDMAN...dei várias risadas

fuii!!

5 de julho de 2009 14:55
Danilo Moreira disse...

Há pouco tempo atrás criei um conto onde a morte, mas apesar dela ser irônica como a do seu texto, a história tem um rumo... digamos... mais sangrento e mais trágico.

Gostei do texto. É uma maneira interessante de lidar com a morte... como uma companheira de bar insandecida que adora fazer piadas.

Adorei a sua história. Ela aconteceu mesmo (tipo, a Morte seria na verdade alguma pessoa perigosa)?

Abçs!!!

http://blogpontotres.blogspot.com/

Novo post: A Dança

5 de julho de 2009 15:37
Canto do Lufa disse...

Muito bom Mesmo!

Segunda vez que leio!

5 de julho de 2009 15:41
Cão Pelado disse...

É difícil pensar sobre morte..mas esse texto é até legal...

Visite:
http://caopelado.blogspot.com/

5 de julho de 2009 16:00
Jéssica Modinne disse...

Engraçadíssima, nossa... Seria ótimo ter uma companhia como essa em baladinhas sem graça durante a semana. Essa tal Morte, ai ai...
É melhor rir pra não chorar.

www.hoppipollablog.blogspot.com

6 de julho de 2009 00:38
Thiago MB disse...

Não é por ser personalidade do cinema atual, mas são os atores que estão em cartaz atualmente nos cinemas entende? Obrigado pelo comentário, volte sempre :D

7 de julho de 2009 20:18
Indira disse...

Genial!
Não é todo dia que a gente encontra a morte,não é verdade?
Ainda mais uma morte assim,alto astral
Adorei!

Beijobeijo

8 de julho de 2009 00:59
Cientista Espacial disse...

velho, to chocado! tu escreve pra caralho!! parabens!! hahaha
quando eu crescer quero escrever como tu! abraço!

8 de julho de 2009 01:10
Paulo Fraga disse...

Simples: Adorei!

8 de julho de 2009 01:26
Allerson disse...

Morte? Morrer é apenas a Terrivel ou Bela experiência que todos teremos um dia, eu terei uma Bele pois tenho Jesus e você?

www.allersonblogger.blogspot.com

8 de julho de 2009 01:31
- εїз Fabi εїз - disse...

Nossa unica ctz né?! A morte!

Beijos..

^^

8 de julho de 2009 18:28
fabriciobezerradaguia disse...

já comentei aqui e até foi bom por que eu não me lembrava onde este texto estava

8 de julho de 2009 18:30
Gúh! disse...

Belos contos !


Cara, seus textos estão evoluindo cada vez mais, continue assim !:)

8 de julho de 2009 18:48
turmadoloid disse...

muito fóda continue assim

8 de julho de 2009 18:54
Humberto Deveza disse...

Que encontro perfeito esse com a morte! Adorei meu!
Espero que ela passe por perto, só passe, rs!

8 de julho de 2009 20:05
Kah disse...

Demais! E eu que pensava que sabia escrever contos... (:
Amei! Fiquei pensando em quanto tempo você pensou nesse texto.

Excelente blog!

9 de julho de 2009 02:30
mundo drogado disse...

muito bom

10 de julho de 2009 00:12
Isis Pillar disse...

"Enquanto Eu via o rebolado de uma velha gorda de short de lycra ínfimo, pensava na morte da bezerra.'

kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Sensacional cara!

10 de julho de 2009 00:50
Plugado disse...

Sinistro mais muito bom conto .. um encontro com a morte muita imaginação .. parabens mesmo.. pela critividade do texto..

visite meu site quando puder
http://www.fiqueplugado.com/

10 de julho de 2009 02:14
A.C Once Caldas - SM disse...

Parabéns pelos contos veio, muito bom mesmo ! Sucesso pra ti :D








http://www.oncecaldassm.blogspot.com

10 de julho de 2009 09:55
Blog da Satine disse...

dançando com a morte heim!! daria um bom filme!!rs e rendeu um belo texto..nossa dá pra ver tanta coisa nessas palavras...12 anos nao mata, vida leva eu...terei bastante inspiração por hj!!rs

obrigada pela visita!!! serei seguidora sua agora!!

10 de julho de 2009 11:38
Luiz Carlos disse...

Gostei muito dos contos,vou voltar mais vezes para uma leitura mais ampla.

10 de julho de 2009 12:45
Leo Pinheiro disse...

A morte já usou a faceta de caveira, de uma linda donzela, de anjo decído, mas...

De gorda com short de lycra enfiado no rabo ou de garrafa de whysk falsi é novidade para mim...

Pois é, até a morte está perdendo o glamour! rs

10 de julho de 2009 13:42
Jefferson Prime disse...

massa achei da hora...


parceria posta lá no ultimo post..

http://eitapreulacampina.blogspot.com/

10 de julho de 2009 21:24
lol disse...

nao existe vida apos a morte

10 de julho de 2009 21:32
~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Adorei!

10 de julho de 2009 21:55
Cínthia Ximenes disse...

Marton

obrigada pelo comentário.

belo blog o seu \o

um abraço !

10 de julho de 2009 21:55
|==Adonai==| disse...

raxei o bico no conto ! muito legal!

vlw abrass!

10 de julho de 2009 22:29
Ana Lucia Nicolau disse...

é pra refletir, existe vida após a morte? que vida?

10 de julho de 2009 22:35
Inez disse...

A morte assusta a muita gente, parece ser tenebrosa e que tudo acaba com ela.
Eu acredito na vida após a morte.

10 de julho de 2009 22:38
ImagArte disse...

nossa que texto heim. muito bom mesmo!
uma leitura que depois que começamos a ler ficamos curiosos em saber oque acontece no final...
Um desfecho brilhante por sinal...
bom é isso ai, quando tiver um tempinho passa no www.imagarte.blogspot.com

Até mais

10 de julho de 2009 22:55
Mateus Ksyvickis Luz disse...

Sempre q venho aki encontro otimos textos. Não foi supresa ler mais um maravilhoso...

Parabéns pelo blog!! Sucesso ae...
Espero receber sua visita no meu tbm, fica o convite:

http://guardeparaosdiasdechuva.blogspot.com/
* ... música, política, celebridades ... *

Abraços...

12 de julho de 2009 11:28
Mateus Ksyvickis Luz disse...

Sempre que venho aki encontro ótimos textos. Hoje não foi diferente...
Parabéns pelo blog!! Sucesso ae...
Espero receber sua visita no meu tbm, fica o convite:

http://guardeparaosdiasdechuva.blogspot.com/
* ... música, política, celebridades ... *

Abraços...

12 de julho de 2009 11:37
QUALIDADE DE VIDA disse...

Muito bom mesmo! Talvez eu nem me assuste mais com a maldita. rsrsrsrsrsrsrsrsrssr

12 de julho de 2009 11:37
Helmo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Muito bom mesmo! Talvez,de agora em diante eu não me assuste mais com a maldita.

12 de julho de 2009 11:39
®Felipe2009® disse...

Parabéns pelo blog e pela criatividade

Passa lá no meu blog:
http://umblogsemnocao.blogspot.com/

12 de julho de 2009 12:10
Tiago Dadazio disse...

bah...mais divulgado q saco de zebra

12 de julho de 2009 12:35
Carina disse...

Pode parecer engraçada, mais não ficamos a esperar por ela!

12 de julho de 2009 12:46
Jonathan disse...

Nossa, muito bom, divertido o encontro com a morte e ao mesmo tempo angustiante, pois com toda a certeza todos nos questionamos sobre a morte, e posso lhe dizer que a morte é divertida, é boa e legal, afinal, através da morte que vivemos :>

Abs.

http://librianodoamor.blogspot.com/

12 de julho de 2009 13:37
Hysteria Project disse...

kkkkk
ri mto

12 de julho de 2009 14:53
Pedro Amaral disse...

òtimo texto, parabéns ai, sério mesmo

13 de julho de 2009 22:55
Itamar (japa) disse...

muito loco, bem legal! curti muito!!

piração!

http://locomundojapa.blogspot.com

13 de julho de 2009 23:11
Siddhartha disse...

Olá, infelizmente não consegui ler seu texto hoje para escrever um comentário legal. Sou da comunidade de divulgação de blogs e depois deixo meu recado.

Se quiser saber mais sobre equipamentos para camping fique a vontade!

Amanhã estarei de volta

13 de julho de 2009 23:21
LReporta disse...

Gostei muito.

Acho que o ponto forte foi a fala do garçon, o texto poderia acabar com ela.
O recurso de colocar o nome da personagem que fala entre parênteses distrai um pouco.

Tirando isso, parabéns.

13 de julho de 2009 23:56
Ana Lucia Nicolau disse...

gostei do texto, aliás, todos os seus textos eu gosto...você sabe como fazer para que as pessoas reflitam sobre o assunto trazido à discussão

14 de julho de 2009 11:09
30 e poucos anos. disse...

Um diálogo cruel com a morte nada mais é do q a sua mente dizendo que a sua vida está a beira do abismo

14 de julho de 2009 11:22
30 e poucos anos. disse...

Tenta entrar por este link

http://algunstrintaanos.blogspot.com/2009/07/24-horas-de-oracoes-musica-classica.html

14 de julho de 2009 11:23
J.F. Marques disse...

Gostei das coisas que você escreve, principalmente esse último ai. Parabéns.
Quanto ao seu comentário no meu blog, entendi o que você quis dizer, respeito o seu ponto de vista. Já vieram me falar, mas eu não sigo um padrão, vou escrevendo, escrevendo e ponto. A não ser quando é poesia, uma coisa tem que completar a outra e fazer sentido, ai sigo o padrão, ao contrário o padrão que sigo é o meu mesmo.
Obrigado pelo comentário e mais uma vez parabéns pelo blog.
Abraço.

14 de julho de 2009 11:46
Tiago Cervo disse...

Interessante a narração... não sei se isso seria agradável... mas foi um excelente conto...

grande abraço

14 de julho de 2009 11:47
Pedro Amaral disse...

ótima narrativa, parabéns ai cara

14 de julho de 2009 14:54
Airton disse...

eaee
morte gent boa ashuahsuahsau

15 de julho de 2009 00:18
Diego Janjão disse...

Eita porra! esse sim sabe escrever...

90 comentarios num eh pra qlqr um!

15 de julho de 2009 00:19
Hysteria Project disse...

kkk
fiko mt bom

15 de julho de 2009 00:31
Rosangela A. Santos disse...

Otima a história li até o final .. cheguei a pensar que a moste iria leva-lo .. rsrsrs

Abç

15 de julho de 2009 09:41
planetadablogueira disse...

A morte não é engraçada não... heheh aliás, eu não quero morrer por enquanto!! =]]

15 de julho de 2009 12:52
Edilaine disse...

Essa Dona Morte...

15 de julho de 2009 17:51
Jeffisu disse...

Nossa, cara... primeira vez que visito seu blog.
E me surpeendi.. li uns outros contos e putz, ESPETACULAR!

pois é, a única certeza que temos é de que todos um dia iremos conversar com a Dª Morte. Afinal, ngm nasceu p fik como semente, né?!

Parabéns!

15 de julho de 2009 18:07
Mandy disse...

ah, eu já comentei aqui. mas esse texto ficou genial!
da primeira vez que o li o título, disse:
"Finalmente uma pessoa que tem a mesma opinião que eu?!?"

mas é, realmente esplendido esse encontro com a morte!

15 de julho de 2009 18:22
Romero Cezar disse...

Blog interessante gostei

Acesse tbm:

http://www.osmullekes.blogspot.com/

15 de julho de 2009 18:39
kbritovb disse...

esperando atualizar =]

15 de julho de 2009 18:55
Adm. Marcelo Leite disse...

Vc escreve muito bem!

15 de julho de 2009 19:02
Adriano Viana disse...

Nossa muito bom e comico!! Seus textos sempre são muito diferente!! Abraço!!

18 de julho de 2009 13:12
O mundo de cada um disse...

Parece até lenda urbana. Cara os seus textos são expetaculares, diferentes de tudo que vi. Quando crescer quero escrever igual a você. Um abraço.

19 de julho de 2009 13:16
luiz scalercio disse...

se eu encontra a morte quero ser mas forte que ele.
kakakakakakakakakakaka.

20 de julho de 2009 19:11
Diego Janjão disse...

TOP blog já é seu cara!

21 de julho de 2009 13:51
ederdbz disse...

otimo texto realmente, bastante suscinto e de certa forma criativo...

um encontro com a morte, iria depender... se fosse engraçada assim, ate aceitaria... heheeh

mais ainda é cedo para encontra-la

21 de julho de 2009 16:40
Angel disse...

A morte é realmente a única certeza da vida, por isso ela tb me faz rir muito..rsrsrs adorei esta história..rs

23 de julho de 2009 13:32
Arthur A. Melo. disse...

A morte o que será a morte?
será que a morte será a morte definitiva?







http://arthurmelo92.blogspot.com
http://thinkkabout.blogspot.com

26 de julho de 2009 13:05
Blog Do Gustavo disse...

Muito legal a narrativa!!Parabéns pelo blog!!


www.conteudoinedito.blogspot.com

4 de agosto de 2009 18:06
tdagora disse...

nossa, adorei!! Sem palavras mesmo! Vou voltar sempre ao seu blog! Você escreve muito bem! parabéns!

beijo!

Luciana

•Tudo.ao.mesmo.tempo.agora• Filmes, séries, livros e entretenimento em geral

http://tdagora.wordpress.com

Twitter: http://www.twitter.com/lucianamangas

7 de agosto de 2009 13:13
Felipe Santos e Camila Alvarez disse...

rapaz, belos textos os seus hein?!
imaginação é o que não lhe falta...

gostei bastante do blog......

esse foi meu post favorito...

parabéns

Aloha

http://surfinsantoss.blogspot.com/

20 de agosto de 2009 13:27
musicpris disse...

Maraaaaaaaaaaaaa! Gostei d+ tb, das dicas de como escrever um conto. ok!

18 de abril de 2010 16:33

Marcadores

3G (1) A Fábula do Pé Sujo (1) A Fábula do Pé Sujo. (1) A Lápide (1) A Tal da Portabilidade (1) A Unidos dos Dois na Sala (1) A Virada do Ano (1) aeromoça (1) aladin (1) Amor a primeira vista (2) amores impossíveis (1) ano novo (1) Arrumação (Em Cadeados) (1) As Cores Dela nas Paredes da Cabeça Dele (1) As Sereias da Estante (1) Assalto (1) assassinato (1) Até que a morte nos separe. (2) avião (1) Bacon (1) barrinha e cereal (1) Bonecas (2) Cabeça (1) cachorro (1) Cadê Deni”zs”e? (1) Caixa Preta (1) caos aéreo (1) carros (1) casa de malucos (1) cereser (1) Céu de Cereal (1) circo (1) Com Deus Só a Vista. (1) concurso (1) construir (1) conto (17) Conto de amor (1) Contos do Rio (4) Copa do Mundo (1) Copacabana (1) Coração Roubado (1) Cortazar (1) cronica (1) Crônica (1) Crônicas (1) desejo (1) Dia de Mãe (1) Dia dos Namorados (2) ditos (1) Do Frio e Branco Azulejo (1) Do Ponto de Vista da Inveja (2) Dos seus saltos (1) Encontros (1) engarrafamento (1) Engolir Palavras (1) espumante (1) Existe Vida após a Morte. (1) fantasia (1) farol (1) Fred (1) Fundo do Poço (1) gênio (1) Ginger (1) Hamburguer (1) humor (6) Idéias (1) Kama $utra (1) lâmpada (1) linchamento (1) luz no fim do túnel (1) Mãe (1) Mãe e Filha (1) manicômio (1) Maradona (1) Marias Chuteiras (1) Me acertou em cheiro (1) menage (1) Mentirinha (1) Mil e uma noites (1) Moleque de Rua (1) Musical (1) O Buraco (1) O Cão de olhos com brilho de diamantes (1) O Engolidor de Palavras (2) O Gênio Ombudsman (2) O Globo (1) O Homem que Não Queria Ir a Copa do Mundo (1) O Que Não é Mais Gente (1) O T da Questão (1) O Último Dia (1) obra (1) Obras (1) orelhão (1) Os cílios postiços dos postes da avenida (1) pão doce (1) Passatempo (1) Pensamento (1) pião (1) poema (7) poesia (6) Portabilidade (2) prosa (1) Quando Ela Perguntou a Ele se estava caindo (1) revertere ad locum tuum (1) rosquinha (1) Saindo do armário (2) Sobre a última Estação. poesia (1) soco (1) sonha-me (1) suruba (1) swing (1) Técnico de Futebol (1) tecnologia (1) Teu Esmalte (1) Teu jogo (1) Top Blog (1) Traição (1) troca de casal (1) trocando de mulher (1) Ursula Andrews (1) Vida (2) vida de cão (1) Vida de Operário (1) Vida. (1) Vingança na carne (1) violência (1)