terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Passatempo

E o homem olhou o tempo.

E o tempo todo olhava o homem.

E marcaram de se encontrar em minutos.

Levaram horas.

Sempre o homem atrasava ou o tempo passava rápido demais.

O homem queria levar metade do tempo para tudo.

Neste meio tempo, não conseguia fazer nada.

O homem que construía pontes, dinheiro, fama, fortuna reclamava
o tempo todo.

Um dia o tempo desistiu. E parou de passar.

E o homem nunca mais encontrou tempo para nada.

16 comentários:

Anderson disse...

Nossa cara ...q linda e lógica poesia, realmente um final certo e verídico, abraço

13 de fevereiro de 2009 12:36
Deeh disse...

Adorei, muito boa mesmo. Sentido literário perfetio, nota dez!

13 de fevereiro de 2009 14:11
Deeh disse...

aproveite e veja o meu blog.

http://sempreocupacao.blogspot.com/

13 de fevereiro de 2009 14:12
Marlene Olympio disse...

Excelente poema. Tudo que se pode dizer do tempo resumindo. Ganhando tempo. Beijocas.

13 de fevereiro de 2009 20:35
Guigo xD disse...

Cara,muito legal essa poesia,realmente,o tempo passa muito rapido mesmo.

http://ownedando.blogspot.com/

14 de fevereiro de 2009 10:47
Natalia Régia disse...

e as 24 horas que o tempo nos dá ja não são suficientes..e o tempo que esperamos passar nossas dores é lento demais,e o tempo que passa com nossas alegrias é curto demais.
há um desencontro.Nossa amei teu blog!!parabéns!!
to lendo aqui os outros textos!
parabéns parabéns!!!!

14 de fevereiro de 2009 14:56
A Dona disso aqui disse...

Gostei do poema... o tempo é o senhor de tudo!

14 de fevereiro de 2009 15:27
apolonio disse...

Muito bom ! Hoje as pessoas perdem seu tempo e estão repartidas.Cada vez tento andar mais devagar,fora a questão da idade,que já pesa,mas quero meu pensamente mais lento.Pois passamos o tempo pensando em bobagens e aproveitamos pouco.

19 de fevereiro de 2009 17:09
Renan Barreto disse...

QUE lindo. Me arrepiei. Foi um dos melhores textos que já li por esses blogs da vida. E o homem só percebe que o tempo acaba quando morre. Time's over. rs

Valeu!!!

20 de fevereiro de 2009 13:15
*** I.C *** ** The One ** disse...

Cara não sou muito fã de poemas... Mas existem as poesias que fogem á regra... São estilo essas ai... Elas tem um jogo gostoso de palavras... Que envolve a leitura e torna ela gostosa... Prabéns pelo Blog

24 de fevereiro de 2009 22:22
Lucas disse...

wooow,realmente...não existe tempo pra nada mais (a nao ser pra ficar no msn =p) hsuahsuahs,mto bom o texto e o blog tbm

26 de fevereiro de 2009 15:29
Meu Blog disse...

Muito bom poema!




vejam

http://humorcompanhia.blogspot.com/

6 de março de 2009 21:25
Pirata Ninja disse...

isso, é o q eu chamo de poema

9 de março de 2009 09:05
Dário Souza disse...

Muito legal, super gostoso de ler, adoro textos assim

28 de março de 2009 13:42
melke disse...

AHa!!! Não sabia que o Marton era também um poeta.
Gostei bastante do poema e da analise dele.. rs
Daqui a alguns dias, terei lido todo o seu blog..

Você viu o Reader que te falei??

22 de junho de 2009 00:43
Anônimo disse...

Olá, muito boa sua visão da angústia. Vou ficar aqui no banco, te lendo! :) http://ocaroco.wordpress.com/

4 de setembro de 2009 00:24

Marcadores

3G (1) A Fábula do Pé Sujo (1) A Fábula do Pé Sujo. (1) A Lápide (1) A Tal da Portabilidade (1) A Unidos dos Dois na Sala (1) A Virada do Ano (1) aeromoça (1) aladin (1) Amor a primeira vista (2) amores impossíveis (1) ano novo (1) Arrumação (Em Cadeados) (1) As Cores Dela nas Paredes da Cabeça Dele (1) As Sereias da Estante (1) Assalto (1) assassinato (1) Até que a morte nos separe. (2) avião (1) Bacon (1) barrinha e cereal (1) Bonecas (2) Cabeça (1) cachorro (1) Cadê Deni”zs”e? (1) Caixa Preta (1) caos aéreo (1) carros (1) casa de malucos (1) cereser (1) Céu de Cereal (1) circo (1) Com Deus Só a Vista. (1) concurso (1) construir (1) conto (17) Conto de amor (1) Contos do Rio (4) Copa do Mundo (1) Copacabana (1) Coração Roubado (1) Cortazar (1) cronica (1) Crônica (1) Crônicas (1) desejo (1) Dia de Mãe (1) Dia dos Namorados (2) ditos (1) Do Frio e Branco Azulejo (1) Do Ponto de Vista da Inveja (2) Dos seus saltos (1) Encontros (1) engarrafamento (1) Engolir Palavras (1) espumante (1) Existe Vida após a Morte. (1) fantasia (1) farol (1) Fred (1) Fundo do Poço (1) gênio (1) Ginger (1) Hamburguer (1) humor (6) Idéias (1) Kama $utra (1) lâmpada (1) linchamento (1) luz no fim do túnel (1) Mãe (1) Mãe e Filha (1) manicômio (1) Maradona (1) Marias Chuteiras (1) Me acertou em cheiro (1) menage (1) Mentirinha (1) Mil e uma noites (1) Moleque de Rua (1) Musical (1) O Buraco (1) O Cão de olhos com brilho de diamantes (1) O Engolidor de Palavras (2) O Gênio Ombudsman (2) O Globo (1) O Homem que Não Queria Ir a Copa do Mundo (1) O Que Não é Mais Gente (1) O T da Questão (1) O Último Dia (1) obra (1) Obras (1) orelhão (1) Os cílios postiços dos postes da avenida (1) pão doce (1) Passatempo (1) Pensamento (1) pião (1) poema (7) poesia (6) Portabilidade (2) prosa (1) Quando Ela Perguntou a Ele se estava caindo (1) revertere ad locum tuum (1) rosquinha (1) Saindo do armário (2) Sobre a última Estação. poesia (1) soco (1) sonha-me (1) suruba (1) swing (1) Técnico de Futebol (1) tecnologia (1) Teu Esmalte (1) Teu jogo (1) Top Blog (1) Traição (1) troca de casal (1) trocando de mulher (1) Ursula Andrews (1) Vida (2) vida de cão (1) Vida de Operário (1) Vida. (1) Vingança na carne (1) violência (1)